Evandro de Carvalho revela que Pernambucano não pode ser sustentado apenas pela FPF

O Estadual está paralisado devido ao surto do coronavírus

CAMPEONATO PERNAMBUCANO
Evandro de Carvalho revela que Pernambucano não pode ser sustentado apenas pela FPF

"Qualquer pessoa que disser o contrário está sendo irresponsável", declarou Evandro. - Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem

Filipe Farias | Pedro Alves

Suspenso por conta da pandemia do novo coronavírus, o Campeonato Pernambucano vive indefinição e ainda não tem data para voltar a ser disputado. Depois de afirmar que o encerramento da competição é inviável, após mobilização dos sete clubes do interior, o presidente Evandro Carvalho declarou que a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) não tem condições financeiras de bancar sozinha o retorno do Estadual, sem a ajuda dos clubes.

“Não, absolutamente não , qualquer pessoa que disser o contrário está sendo irresponsável. A federação aportou algo acima de R$ 8 milhões nos últimos três anos na tentativa de evitar que os clubes descessem, a federação arcou e arca com toda a arbitragem da Série A1 e A2, inclusive ainda estamos devendo a arbitragem do que foi jogado, então qualquer hipótese ou pessoa que se imagine que a federação tem um cofre abarrotado de dinheiro, está absolutamente errada ou não tem compromisso de conferir os fatos”, declarou Evandro Carvalho, em entrevista ao repórter João Victor Amorim, da Rádio Jornal.

De acordo Evandro Carvalho, depois de uma reunião com representantes das federações locais com a CBF, foi determinado a necessidade de suspender todas as competições nacionais. “O que é possível se dizer hoje é o mesmo que foi dito antes de nós realizarmos a última e definitiva reunião no Rio de Janeiro com a CBF. Era, como é hoje, impossível cancelar o campeonato estadual, não significa dizer que amanhã não seria possível cancelá-lo, como qualquer outra competição”, destacou.

Ainda segundo o presidente da FPF, a previsão é que a suspensão do Campeonato Pernambucano dure no mínimo 30 dias e que a competição volte a ser disputada simultaneamente ao Campeonato Brasileiro. “A previsão é que a suspensão dure no mínimo 30 dias, provavelmente durará 60 dias, se isso ocorrer, nós teríamos datas para continuar as competições, com a possibilidade de antecipação de férias dos jogadores, já que a tendencia é que o mês de dezembro seja integralmente utilizado para a realização de partidas”, acrescentou Evandro.

CBF

Evandro Carvalho ainda descartou a possibilidade da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) bancar financeiramente o retorno dos campeonatos estaduais. “É impossível, a CBF não pode (bancar os estaduais), o clube é uma entidade profissional, a CBF só pode, no limite da lei, adiantar 30% do que o clube teria de contrato sob proteção e validação dela, isso é o que a lei permite. Para ajudar os clubes, a CBF simplesmente não arrecada o que a lei determina”, destacou Evandro.