PARALISAÇÃO

Pernambuco completa mais uma semana sem futebol

Decreto emitido em Porto Alegre autorizou equipes voltarem aos treinamentos. Em PE, o Governador não flexibilizou a reabertura de serviços não essenciais

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 04/05/2020 às 14:54
Acervo/JC Imagem
FOTO: Acervo/JC Imagem
Leitura:

Ao contrário do movimento que vem acontecendo em algumas cidades brasileiras, como em Porto Alegre, que Grêmio e Internacional, com a autorização da Prefeitura da capital gaúcha, vão retomar suas atividades nessa semana, com foco na preparação física e com horários de treinamentos distintos para o plantel; no Recife, Náutico, Santa Cruz e Sport ainda não sinalizaram sobre a possibilidade de reabrir os portões dos clubes. Apesar de os elencos alvirrubros e rubro-negros já terem gozado de um mês de férias – encerraram no último dia 30 -, ambas as diretorias já deixaram claro que só vão liberar os seus atletas para voltarem aos treinamentos no Centro de Treinamento mediante um protocolo de segurança para evitar qualquer tipo de risco de contágio da covid-19. Entretanto, se depender do Governador de Pernambuco, Paulo Câmara, e das autoridades sanitárias do Estado, o futebol não deve voltar nesse mês de maio, já que no novo decreto do Governo, assinado na última quinta-feira (30), o comércio e os serviços não essenciais (futebol está incluso) devem permanecer fechados até o próximo dia 18.

Representantes da Federação Pernambucana de Futebol (FPF) vem mantendo um diálogo frequente com os dirigentes e médicos dos clubes para buscar definir um protocolo médico (a CBF também vem elaborando um protocolo nacional para enviar às Federações) para a retomada das atividades esportivas no Estado. Mesmo com essa iniciativa da entidade, o Dr. Múcio Vaz, vice-presidente médico do Náutico, já deixou claro que o clube da Avenida Rosa e Silva vai respeitar a determinação vinda do Governo do Estado e das autoridades sanitárias.

Tanto que, a princípio, a diretoria alvirrubra tinha a intenção de marcar a reapresentação dos jogadores para hoje (segunda-feira), mas preferiu adiar o retorno em uma semana em virtude da efetivação de um protocolo médico para a retomada dos trabalhos. No entanto, na última quinta-feira, o Governo de Pernambuco prorrogou as medidas restritivas para manter o isolamento social durante a pandemia do novo coronavírus. Dessa maneira, com o fechamento do comércio e dos serviços considerados não essenciais até o dia 15 de maio, o elenco do Náutico vai levar mais tempo para voltar aos treinos.

Vice-presidente do Náutico, Diógenes Braga já havia deixado claro que a definição do dia 11 de maio estava condicionado a um cenário de saúde favorável em Pernambuco. “Não vamos fazer nada sozinhos, por decisão única nossa, é preciso haver todo um cenário favorável. Queremos voltar, todos estão sentindo muita falta do trabalho, mas só vamos fazer isso com segurança. É fundamental que a gente tenha todo um protocolo de retomada dos trabalhos. Todos os atletas estão de sobreaviso, mas só vamos voltar com segurança, com um protocolo e um calendário mais claro para nos programarmos também para a volta dos campeonatos”, explicou Diógenes.

Assim como ocorreu no Náutico, a direção do Sport também optou por antecipar as férias do elenco leonino com a esperança de que, após o término do período de descanso, os jogadores já pudessem ser liberados para voltar a treinar normalmente. Contudo, não foi isso o que aconteceu. Mesmo após o período de 30 dias de férias, os rubro-negros seguem obrigados a cumprirem o isolamento, sem a permissão das autoridades sanitárias para iniciarem uma inter-temporada no clube. O presidente do Sport, Milton Bivar, já deixou claro que vai respeitar a determinação do Governo do Estado e não pretende liberar a volta dos atletas nesse momento.

Enquanto essa definição não vem por parte das autoridades, o técnico Daniel Paulista vem buscando manter uma interação com os jogadores de forma virtual. “Nós ainda não sentamos e definimos como vai ser executado esse trabalho após as férias. A forma que nós da comissão técnica estamos tentando trabalhar com os atletas é através de vídeo mostrando a parte tática, questão de posicionamento, coberturas, transições ofensivas e defensivos, marcação alta e baixa”, declarou o treinador rubro-negro.

SEM FÉRIAS

Único clube do Trio de Ferro da capital pernambucana que não concedeu férias ao seu elenco nesse período de paralisação do futebol por conta da pandemia do novo coronavírus, o Santa Cruz preferiu aguardar por um posicionamento das autoridades sanitárias liberando o retorno das atividades, algo que ainda não aconteceu até o momento. Muito pelo contrário. O cenário atual é de incertezas, já que o mês de maio é apontado pelos especialistas da área de saúde como o mais perigoso em termos de novos contágios da covid-19. Mesmo com o decreto do Governo Estadual novamente prorrogado (agora para o dia 15), a reapresentação dos jogadores Tricolor do Arruda está agendada para acontecer três dias após a data determinada pelo Governador Paulo Câmara.

Desde que anunciou a paralisação das atividades no clube (17 de março), a direção do Santa Cruz já remarcou a reapresentação do elenco coral em três oportunidades: primeiro para o dia 14 de abril; depois para o dia 30 de abril; e, por fim, a data atual é dia 18 de maio. “Por enquanto está descartado (antecipar férias). É um assunto que, se houver uma diferenciação ou mudança de patamar e realidade do que estamos vivendo hoje, vamos rediscutir esse assunto. Mas, hoje, é descartado. Essa questão de férias, até pela situação do calendário, da competição e dos contratos que nós temos, é um assunto que não vamos colocar para frente”, comentou Fred Dias, diretor de futebol e membro do núcleo de gestão coral.

Mais Lidas