Atual gestão do Náutico tem apenas duas ações na justiça em um universo de 120 jogadores

Desde quando Edno Melo assumiu o clube em 2018, apenas dois jogadores colocaram o clube na justiça

NÁUTICO
Atual gestão do Náutico tem apenas duas ações na justiça em um universo de 120 jogadores

O presidente do Náutico, Edno Melo, concedeu entrevista à Rádio Jornal - Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Pedro Alves | Twitter: @PedroAlvesn99

A atual gestão do Náutico vem sendo exemplo de administração para as equipes de Pernambuco. Com a política de austeridade, o presidente Edno Melo vem cumprindo rigorosamente com os compromissos junto aos atletas, funcionários e até quitando dívidas herdadas de gestões passadas e é isso que comemora o mandatário alvirrubro.

Em entrevista à Rádio Jornal, Edno Melo revelou que apenas dois jogadores, dos 120 que foram contratados desde o início de sua gestão, em 2018, colocaram o clube na justiça. 

OUÇA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA:

“O elenco 2017 não foi essa gestão que contratou, mas foi essa quem demitiu. O elenco de 2018 e 2019 a gente fala de mais de 120 jogadores. Desses 120 jogadores, a gente tem duas causas na justiça que uma a gente fez o acordo e o jogador, maldosamente, de má fé colocou na justiça e o outro jogador foi embora e não quis acertar”, disse Edno Melo.

Exemplo

Os jogadores citados pelo presidente do Náutico foram Gilmar, atacante que defendeu o Timbu em 2017, e o Clebinho, meia que estava no elenco 2018. Número de ações que, se comparado a outros clubes, são pequenas, mesmo em uma realidade difícil que viveu o Clube Náutico Capibaribe, chegando a passar dois anos na Série C. Devido a isso, Edno Melo cobrou que a torcida se mantenha atenta nas próximas administrações e provou que dá para ser gerir bem o clube honrando os compromissos firmados pelos gestores.

“Dessas duas ações no universo de 120 jogadores é um exemplo que dá pra fazer as coisas corretas para que a gente não gere um passivo lá na frente”, cobrou.

“O propósito nosso é sanear o clube. Mas a gente não pode fazer com desespero, não pode a qualquer momento tirar jogador e treinador. A torcida, até certa forma está correta em reclamar, ela quer título e nós da diretoria também. Mas temos que ter cuidado para olhar o futuro e ter uma longevidade maior. Da forma que estava indo o clube, ele estava se enterrado em dívidas. Então o primeiro passo foi dado que é não cometer mais essas dívidas, não contrair ações trabalhistas gigantescas e aos poucos ir sanando os passivos”, completou.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.