Buscando estabilidade diante da pressão, Náutico encara Operário-PR nos Aflitos

Timbu foi derrotado na primeira rodada da Série B

NÁUTICO
Buscando estabilidade diante da pressão, Náutico encara Operário-PR nos Aflitos

Meia Jorge Henrique deve ser mantido entre os titulares do Timbu. - Foto: Alexandre Gondim/ Acervo JC Imagem

Klisman Gama | Pedro Alves

A busca por estabilidade é o principal objetivo do Náutico neste início de Série B. E ela só virá com a volta ao caminho das vitórias. Desta forma, o Timbu vai a campo contra o Operário-PR, nesta terça-feira, às 21h30, no estádio dos Aflitos, para conseguir seus primeiros três pontos na Segundona. Além disso, é preciso respirar para readquirir o fôlego. A pressão por parte da torcida em cima do trabalho do técnico Gilmar Dal Pozzo tem aumentado e ele segue atrás de soluções para os problemas encontrados. 

Na defesa, promoveu o retorno do zagueiro Camutanga diante do Avaí – deve mantê-lo contra o Fantasma ao lado de Carlão. A equipe, em geral, teve um primeiro tempo ruim e acabou pagando pelos erros cometidos. No segundo tempo houve uma melhora, mas não o suficiente para evitar a derrota. Alguns jogadores têm oscilado nos últimos jogos e podem acabar perdendo espaço. É o caso do lateral-esquerdo Wilian Simões que, mesmo tendo participado do gol de Kieza no sábado, pode dar lugar a Erick Daltro.

No meio de campo, a tendência é seguir com os volantes Rhaldney e Djavan. O treinador alvirrubro ainda conta com os desfalques de Jhonnatan, lesionado, e Josa, que vinha se recuperando de um problema na lombar, mas ainda não deve reunir condições de participar como titular. No máximo, entrando na segunda etapa, caso seja relacionado. Por outro lado, o Náutico poderá contar com o volante Matheus Trindade, contratado junto ao Joinville, e que está regularizado.

Na frente, pode ocorrer uma mudança que altera o esquema tático do time. Com a provável entrada do meia Jean Carlos e a boa sequência do experiente Jorge Henrique, quem pode perder a vaga é o atacante Thiago, devido ao rendimento abaixo do esperado. Desta forma, o Náutico atuaria com dois meias, com o atacante Dadá Belmonte tendo liberdade para cair nas duas pontas. A ideia é, diante do Operário-PR, que deve vir com uma equipe mais fechada, conquistar espaços através de jogadores mais técnicos e com bom passe pelo meio.

“(Para utilizar Jorge Henrique e Jean Carlos) sairia um jogador de lado de campo, mais agudo. A ideia seria preencher mais o meio, fazer um quadrado com Jorge, Jean e mais os outros dois meio campistas para termos um domínio maior no meio-campo. A gente ia perder a velocidade maior do lado de campo, mas teríamos dois jogadores mais inteligentes por dentro, com qualidade e aproximação no centroavante. É uma ideia que penso, principalmente em jogos em casa ou postura de adversário que vem bem fechado, que fecha linhas. É difícil tu teres um jogador de velocidade, se não tem espaço para desenvolver a velocidade. Então você coloca jogadores técnicos, mais de aproximação, de jogo apoiado”, disse o técnico do Náutico, em entrevista coletiva na última semana, perguntado sobre a possibilidade de jogar com Jorge Henrique e Jean Carlos.

Ficha do jogo

Náutico

Jefferson; Hereda, Carlão, Camutanga e Wilian Simões (Erick Daltro); Rhaldney, Djavan, Jorge Henrique e Jean Carlos; Dadá Belmonte e Kieza. Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

Operário-PR

Rodrigo Viana; Sávio, Bonfim, Sosa e Julinho; Mazinho (Pedro Ken), Marcelo, Tomas Bastos e Thomaz; Douglas Coutinho e Jefinho. Técnico: Gerson Gusmão.

Local: Estádio dos Aflitos, no Recife. Horário: 21h30. Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias (SP). Assistentes: Fabrini Bevilaqua e Gustavo Rodrigues (ambos SP)

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.