Na raça, Santa Cruz vence o Treze por 3x2 com dois gols nos acréscimos

O Tricolor bateu a equipe paraibana nos acréscimos

SANTA CRUZ
Na raça, Santa Cruz vence o Treze por 3x2 com dois gols nos acréscimos

Toty foi o autor do gol da vitória do Santa Cruz. - Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem

Filipe Farias | Pedro Alves

Uma vitória na raça. O Santa Cruz mostrou que tem um time de guerreiros e arrancou uma virada heroica em cima do Treze-PB, vencendo a partida por 3×2, com o gol da vitória sendo marcado aos 50 minutos do segundo tempo, após Toty marcar em cobrança de pênalti. Com o triunfo desta terça-feira (18), no estádio do Arruda, o Tricolor terminou a segunda rodada da Série C na terceira colocação do Grupo A, com quatro pontos.

A Cobra Coral volta a campo no próximo domingo (23), contra outra equipe paraibana; desta vez, vai encarar o Botafogo-PB, às 18h, no estádio Almeidão, em João Pessoa, pela terceira rodada da Série C.

OUÇA OS GOLS NA VOZ DE AROLDO COSTA, O MAIOR GOL DO MUNDO


O JOGO

Sem mostrar nem um indício de uma possível “ressaca” após a conquista do título Paraibano, o Treze iniciou o confronto diante do Santa Cruz mostrando que não veio para o Recife a passeio. E, com um minuto partida, o volante Vinícius Barba já tinha dado o cartão visitas ao arriscar um chute de longa distância, com a bola ganhando altura e passando por cima da meta de Maycon Cleiton. Pelo lado tricolor, Itamar Schulle optou por promover a estreia do garoto Jaderson, atacante contratado junto ao Athletico-PR, apostando na sua velocidade para municiar a ofensiva do time – como já atuou na lateral esquerda nas categorias de base, ele iniciou o jogo atuando à frente de Célio Santos, fazendo o corredor ofensivo pelo lado esquerdo.

Por atuar em casa, a Cobra Coral até que buscava impor o seu ritmo, mas acabou sendo golpeado com um contra-ataque fatal dos paraibanos. Aos 11, após cobrança lateral do Santa, o Treze engatou a contra-ofensiva em alta velocidade, a bola chegou até o lateral-esquerdo Gilmar, que deixou Paulinho para trás e cruzou rasteiro para Ermínio finalizar de dentro da área de abrir o placar: 1×0.

Sem se abalar com o gol sofrido, a equipe tricolor mostrou serenidade e maturidade para buscar o empate, o que não demoraria a acontecer. Aos 16, Paulinho roubou bola do adversário na intermediária e arriscou um chute na diagonal, mas a bola passou rente a trave direita de Jeferson, levando bastante perigo. Porém, dois minutos depois, o arremate seria fatal. Aos 18, Jeremias tentou individualizar pela direita, viu Paulinho livre na entrada da área e rolou… O volante calibrou o pé e acertou um balaço no ângulo, sem chances para o goleiro do Treze: 1×1.

O ímpeto inicial das duas equipes perdurou durante toda a primeira etapa, mas as oportunidades de gol não surgiram. O que se viu foi muita transpiração pelos dois lados, mas pouca inspiração ofensiva. Com isso, o placar permaneceu inalterado na primeira parte da partida.

Na volta do segundo tempo, o Santa Cruz mostrou uma postura mais incisiva já nos primeiros minutos. Logo aos dois, o Tricolor desceu em investida pela esquerda, comJaderson, que cruzou na medida para Victor Rangel, que chegou cabeceando com precisão e mandando a bola na trave. Quase o gol de desempate.

A equipe do Treze não se intimidava por jogar fora de casa e também buscava a vitória na sua estreia na Série C – não disputou a primeira rodada porque o Imperatriz teve 12 jogadores testados positivos para a covid-19 e a partida foi adiada pela CBF. Aos 25, o ex-zagueiro do Náutico Breno Calixto foi para a cobrança de falta ensaiada e mandou uma bomba na entrada da área, mas pra sorte de Maycon Cleiton, a bola foi por cima da meta.

A sorte do goleiro coral terminaria na jogada seguinte. Aos 29, Douglas Lima foi para a cobrança de escanteio metendo bastante efeito na bola e ela acabou morrendo no fundo das redes do Santa Cruz. Gol olímpico da equipe paraibana: 1×2.

O placar adverso, porém, não impediu o Santa Cruz de insistir. E a persistência foi recompensada no final da partida. Aos 45, Augusto Potiguar alçou bola na área, Breno Calixto afastou mal, a bola sobrou para Didira, que rolou para Chiquinho encher o pé e empatar o marcador: 2×2. Ainda com tempo de buscar o triunfo, a virada veio nos acréscimos. Aos 48, o próprio Chiquinho achou Victor Rangel livre na área, mas na hora de finalizar, acabou sendo calçado por trás: pênalti. Na batida, Toty desempatou e garantiu os três pontos para o Tricolro: 3×2.

Ficha do jogo

SANTA CRUZ

Maycon Cleiton; Toty, Danny Morais, William Alves e Célio Santos (Júnior); Bileu (Tinga), Paulinho e Didira; Jaderson (Augusto Potiguar), Jeremias (Chiquinho) e Pipico (Victor Rangel). Técnico: Itamar Schulle.

TREZE-PB

Jeferson; Léo Pereira, Breno Calixto, Alisson Cassiano e Gilmar; Robson (Resende) e Vinicius Barba; Edson Carioca (Caxito), Alexandre Santana (Bruno Mota) e Douglas Lima (Tales); Ermínio (Frontini). Técnico (auxiliar): Caé Cunha.

Local: estádio do Arruda, no Recife (PE).
Árbitro: Paulo Renato Moreira da Silva Coelho (RJ).
Assistentes: Diogo Carvalho Silva e Daniel de Oliveira Alves Pereira (ambos do RJ).
Gols: Ermínio, aos 11, e Paulinho, aos 18 do 1º Tempo. Douglas Lima, aos 29, Chiquinho, aos 45, e Toty, aos 50 do 2º Tempo.
Cartões amarelos: Paulinho, Bileu, Toty (STA) e Robson e Alisson Cassiano (TRZ).

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.