Executivo explica decisão pelo titular no gol do Sport: “Escolha técnica”

Mailson, atual títular, vem sendo criticado pela torcida do Sport

SPORT
Executivo explica decisão pelo titular no gol do Sport: “Escolha técnica”

Clube também renegociou as dívidas com o goleiro. - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Davi Saboya | Pedro Alves

Executivo de futebol do Sport, Lucas Drubscky explicou que a escolha pela titularidade na meta rubro-negra tem sido baseada no critério técnico. Em entrevista ao Jornal do Commercio e Blog do Torcedor, ele elogiou os três goleiros Mailson, Luan Polli e Carlos Eduardo, que foi contratado no início de 2020 após ser eleito o melhor atleta da posição na Série B do Campeonato Brasileiro e ainda não disputou uma partida. O diretor remunerado também frisou que esse não é um setor que preocupa a cúpula de futebol.

Antecessores do atual comandante Jair Ventura na temporada, Guto Ferreira e Daniel Paulista divergiram nos respectivos períodos sobre quem deveria ser o principal arqueiro. O primeiro tinha como titular Luan Polli. O outro manteve a escolha inicialmente, mas mudou nas vésperas do início do Brasileirão. Fato que gerou uma instabilidade no setor durante este ano e até o preparador foi trocado. Júnior Matos foi demitido junto com o último técnico e Jorcey Anísio teve a contratação confirma no fim da semana passada.

“Escolha técnica. Na minha opinião, temos três grandes goleiros. Mailson teve grandes atuações na Série A, em 2018, fechou o ano muito bem. Eu já tinha chegado no clube. Teve um bom desempenho em 2019, final do Pernambucano, quase toda a Série B, foi muito consistente. Depois veio Luan (Polli), que chegou em 2018, soube esperar a hora dele, fez uma reta final de Série B bastante positiva. Trouxemos Carlos (Eduardo) que foi um dos melhores goleiro da Segunda Divisão. Acredito que cada um tem seus pontos fortes e fracos, mas de uma maneira geral é uma posição que as opções nos atendem bem”, afirmou o executivo de futebol do Sport.

“Eu, como executivo, não vejo goleiro uma posição que me preocupa. Mas, tem as escolhas técnicas, e como executivo não interfiro. A gente discute com a comissão, claro, mas só joga um. Diferente, por exemplo, de atacante de beirada, que jogam dois, podem ser substituídos. Goleiro precisa participar do jogo, de tempo. Não é fácil. Não é simples trocar”, completou.

Questionado sobre o fato de Carlos Eduardo não ter sido aproveitado neste ano, Lucas Drubscky reiterou que as escolhas tem sido pelo momento de cada um. Além disso, o dirigente rubro-negro enalteceu o empenho no dia a dia de cada goleiro. Ele ainda fez questão de ressaltar que a direção de futebol do Sport deu “carta branca” para o técnico Jair Ventura e o preparador de goleiro Jorcey Anísio escolherem o titular da posição.

“Tenho visto que tem se criado uma celeumar que não existe. Por A, B ou C. Ele (Carlos Eduardo) está treinando bem, como sempre. É um goleiro que treina muito bem, se dedica bastante. Assim como Mailson, Luan (Polli) e Túlio, que é o nosso quarto goleiro e veio da base. São extremamente profissionais e comprometidos. É uma questão de escolha, de momento”, disse o diretor.

“É até difícil questionar Jair (Ventura, técnico) sobre isso, pois está chegando agora e não tem nem uma semana de clube. Trocamos também o treinador de goleiros, que agora que está conseguindo se inteirar. Deixei claro para Jair e Jorcey (Anísio), que eles estão com total liberdade e tranquilidade para colocarem em campo o goleiro que eles entenderem serem o melhor para o Sport. A escolha que for feita a gente válida. Estaremos juntos nessa e vamos apoiar. Não existe complicador ou teoria da conspiração”, acrescentou.

Carlos Eduardo

Drubscky ainda deixou claro que não tinha como Carlos Eduardo ser utilizado no quadrangular do rebaixamento no Estadual, pois naquele momento a escolha por Mailson estava tomada. E, assim, o prata da casa leonino precisava participar dos jogos para potencializar as valências. Na visão do executivo, o goleiro sente mais a falta do ritmo de jogo que os jogadores de outras posições.

“A partir do momento da decisão de que Luan (Polli) não seria o goleiro titular e seria Mailson, ele precisava de tempo, de jogos. As partidas que teriam a partir desse momento estava inclusas as realizadas no quadrangular (do rebaixamento no Estadual). É o que eu falo: a avaliação, a forma de colocar os goleiros é diferente dos atletas de linha. Eles sofrem mais pela falta de ritmo de jogo e isso afeta em vários pontos da performance. A partir do momento que a decisão da titularidade de Mailson, não fazia sentindo colocar ele no Nordestão, depois Carlos Eduardo no Estadual e depois Mailson”, comentou Lucas.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.