Técnico do Santa Cruz valoriza trabalho de antecessor e mira evolução na Série C

Marcelo Martelotte vai comandar o Santa Cruz no restante da Série C

SANTA CRUZ
Técnico do Santa Cruz valoriza trabalho de antecessor e mira evolução na Série C

O técnico Marcelo Martelotte (Foto) foi apresentado no Santa Cruz. - Foto: Rafael Melo/Santa Cruz

Lourenço Gadelha | Pedro Alves

Apresentado nesta quarta-feira (9) como novo técnico do Santa Cruz, Marcelo Martelotte valorizou a qualidade do elenco Coral e também o trabalho desempenhado por seu antecessor, Itamar Schulle, que fazia boa campanha até aqui na Série C. Por isso, o comandante que inicia sua quarta passagem à frente do Tricolor destacou a importância de trabalhar com responsabilidade para buscar evolução na competição e conquistar o acesso à Série B. No momento, o Tricolor é o segundo colocado no Grupo A com dez pontos, mesma pontuação do Ferroviário, que leva vantagem no saldo de gols.

“Não só o fato dele (Schulle) ter saído, mas principalmente pela campanha. Hoje é difícil você ver um clube trocando de treinador estando na posição em que o Santa Cruz está dentro do seu grupo com pontuação de primeiro colocado. É lógico que é uma responsabilidade maior, mas isso traz a certeza que temos um grupo qualificado e que a gente vai brigar pelos primeiros lugares. Essa é a certeza que a gente tem. Qualidade nós temos aqui e o trabalho tem que ser feito para que a gente evolua mais, sempre com uma responsabilidade muito grande. 

Para dar sequência ao trabalho, o treinador pretende conhecer o mais rápido possível as características do elenco Coral para implementar seu modelo de jogo sem alterar demasiadamente aquilo que já foi feito pelo antecessor. “Não tenho um esquema de jogo fixo na cabeça. A gente pode se adaptar a melhor característica do nosso elenco. Vamos o mais rápido possível identificar a melhor característica dos nossos atletas. O trabalho vinha sendo feito com qualidade e não podemos chegar mudando completamente a característica da equipe, mas pensamos sempre melhorar e evoluir”.

De acordo com o técnico, apesar de não ter um esquema tático definido, alguns aspectos do time de 2015, especialmente pelos resultados e pela característica ofensiva podem servir de modelo para ser repetido agora. 

 

“O time de 2015 é uma referência não só pelo resultado que alcançou no final da competição, mas também pelo futebol que mostrou e pelo momento que viveu, principalmente na reta final da Série B com vitórias consecutivas e um futebol alegre, que fazia muitos gols e que chamava atenção por isso. Eu espero repetir principalmente essa característica de jogo que o torcedor gosta e que no meu pensamento é a maneira mais simples de chegar aos resultados que a gente busca”, acrescentou.

Velhos conhecidos

Pronto para iniciar a quarta passagem à frente do Santa Cruz, Marcelo Martelotte vai trabalhar com alguns jogadores que estavam também em passagens anteriores do técnico, como os zagueiros Willian Alves e Danny Morais, e o volante Bileu. Em comum, os atletas e o comandante carregam o fato de terem obtido sucesso nas parcerias de outrora.

“Falo principalmente desses três de uma maneira muito positiva. O Danny e o Bileu fizeram parte daquele grupo vencedor em 2015. O Willian foi peça fundamental em 2013 na conquista do Pernambucano. Então são jogadores que eu sei e conheço o potencial”, afirmou o técnico, valorizando também a qualidade dos demais jogadores que compõem o elenco Coral. 

“Independente de ter trabalhado, outros jogadores qualidade e o grupo tem um potencial técnico muito bom. É um grupo competente, são jogadores de qualidade e a gente fica satisfeito em poder trabalhar com esse nível de jogadores. Esperamos trazer um algo mais para ainda melhorá-los no sentido de todos estarem no seu auge no momento em que a competição está desenrolando. Temos objetivos ainda maiores”, finalizou o novo comandante do Santa Cruz, Marcelo Martelotte.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.