Membro da patrimonial explica motivo de aluguel do CT do Santa Cruz para peladas: “momento de dificuldade”

O Tricolor firmou um contrato para realização de jogos amadores no valor de R$ 8 mil

SANTA CRUZ
Membro da patrimonial explica motivo de aluguel do CT do Santa Cruz para peladas: “momento de dificuldade”

CT do Santa Cruz foi alugado para fazer jogos amadores. - Foto: Diogo Duarte/Divulgação

Pedro Alves | Twitter: @PedroAlvesn99

Após o cancelamento do contrato que firmava um acordo para realização de jogos amadores no Centro de Treinamento (CT) Ninho das Cobras, o membro da comissão patrimonial do Santa Cruz, João Caixero, explicou o motivo de alugar o campo alegando necessidade de manutenção do equipamento que custa cerca de R$ 20 mil mensal e que a arrecadação foi prejudicada por conta da pandemia.

“Pela conjuntura atual que a gente tem conhecimento, eu preciso da esse esclarecimento dessa necessidade. Os permanentes colaboradores do clube, os entusiastas tricolores sempre deram a contribuição ao CT. Sempre pedimos contribuição ao CT. Nós estamos vivendo um momento de dificuldade, jogos de portões fechados, o arrecadamento do clube não existe, tivemos uma queda de arrecadamento de sócios terrível, poucos sócios em dias, a repercussão da crise é grande e chegou ao CT”, disse João Caixero, em entrevista para Ralph de Carvalho, da Rádio Jornal.

OUÇA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA:

“O clube tem, dentro do contexto do CT, uma necessidade de manutenção. O executivo do clube criou para se manter ingressos online virtual, miniaturas do estádio, campanha de cestas básicas para funcionários que faltam salário, então nós passamos por essa necessidade de verba. Nós não temos verbas orçamentárias, temos campanha de apoio ao CT. Contribuições. Começamos com o livro dos 100 anos, nós demos 600 livros para que fossem vendidos e investidos no CT, a custo de mil reais cada um. Fizemos sorteio de carro, criamos o bolo de rolo, cerveja artesanal, o café ecológico, o ovo, que foi um escândalo porque lancei o produto, o show de Zé lezin, jantar na sede, feijoada… criamos essas linhas de busca de receita, criamos mil títulos de patrimoniais que participa de um sorteio de um camarote no Santa Cruz”, explicou Joca, citando alguns exemplos.

Custos do CT

Lembrando formas de arrecadar usadas anteriormente, João Caixero explicou o motivo de usar algumas campanhas que foram questionadas pela torcida, mas que por questão de necessidade era necessário para manter o custo de ter um patrimônio feito o CT do clube.

“O aluguel do CT veio por causa disso, porque há necessidade de receitas para manter o equipamento. Não é fácil, é difícil. O processo de manutenção da li é muito sério. Nós temos uma fonte de poço de água, para manter o local, de 250 mil litros. Uma irrigação no campo, que são três vezes ao dia, são 60 mil litros por irrigação, 60 vezes três são 180 mil litros. Temos agora o segundo campo que também começa a exigir irrigação, são mais 180 mil litros, precisamos de mais um poço ou mais caixas d’água, mas a caixa d'água dá um custo de energia muito grande, porque a vazão do poço é de 7 mil litros por hora, então a bomba passa 24h ligada. E o custo de energia?”, encerrou questionando o ex-presidente.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.