Treinando para manter forma no Náutico, meia Marcos Vinícius tem pouca chance de ficar no clube

Jogador está livre no mercado

NÁUTICO
Treinando para manter forma no Náutico, meia Marcos Vinícius tem pouca chance de ficar no clube

Marcos Vinícius tem 25 anos e foi revelado pelo Náutico. - Foto: Acervo/JC Imagem

O meia-atacante Marcos Vinícius, cria da base do Náutico, tem treinado no CT alvirrubro há quase duas semanas para manter a forma física enquanto busca por um clube. O atleta de 25 anos foi revelado pelo Timbu em 2012 e foi vendido para o Cruzeiro, com venda total de R$ 1,9 milhão, somando o montante de todo o percentual que os pernambucanos tinham dele em 2014 e 2015. A última camisa defendida pelo armador foi a do Botafogo-SP, por empréstimo do homônimo carioca. Porém, lá no interior paulista disputou apenas um jogo e foi devolvido à Estrela Solitária, onde teve o contrato encerrado em julho.

Livre no mercado, a possibilidade de acabar ficando no Náutico acaba, invariavelmente, surgindo. Contudo, a direção alvirrubra não põe muita esperança nisso, muito por causa do patamar salarial do jogador. De acordo com apuração do repórter Antônio Gabriel, da Rádio Jornal, o atleta recebe acima de R$ 100 mil por mês desde que defendia o Cruzeiro. Apesar de o staff do meio-campista estar aberto a uma negociação para que ele fique, o vice-presidente de futebol, Diógenes Braga, põe os “pés no chão” sobre a condição financeira do Timbu para tal acerto.

“Eu particularmente não acredito. Marcos Vinícius é um atleta de nível muito alto, chegou num nível muito alto no Cruzeiro, Botafogo. No Cruzeiro, por exemplo, ele chegou a botar Arrascaeta no banco. Ele pediu para vir manter a forma e recondicionar aqui e votar ao mercado, e claro que um atleta da base que rendeu frutos ao clube que foi vendido por um montante significativo, não tinha sentido o clube negar isso ao atleta. Mas acho muito difícil”, comentou o dirigente. 

“Quem não gostaria de contar com Marcos Vinícius, pela qualidade que o atleta tem? Mas o vejo num patamar fora da nossa realidade. O mercado que ele fomenta é o de Série A, onde ele tem mercado aberto e vamos recondicioná-lo aqui para que ele volte ao mercado. Mas quem sabe amanhã, com a gente estando na Série A, não possamos contar com ele?”, completou.

Para a posição, o Timbu tem Jean Carlos e Jorge Henrique, principais nomes da equipe no ano e na volta do futebol após a paralisação, além de Ruy, recém-contratado, que estava no Coritiba. Este último, apesar de ter um patamar salarial alto no ex-clube, aceitou vir dentro das condições que o Náutico poderia pagar. Com isso, apesar de ter uma chance de que Marcos Vinícius permaneça, já que suas características de jogo são diferentes dos demais, o peso nas finanças será preponderante para a resolução desse caso.

Podcast

O quarto episódio do podcast na Cara do Gol debateu sobre a possibilidade de liberação de 30% do público nos estádios, a chegada de Thiago Neves em um Sport consolidado taticamente, desde a chegada de Jair Ventura, a importância da mensagem passada pelo Náutico no lançamento da nova camisa e os dois meses sem gols dos centroavantes do Santa Cruz, além de escolher os destaques da rodada. O podcast também é transmitido ao vivo, no YouTube, todas as segundas-feiras, às 15h15.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.