Conselho Deliberativo do Santa Cruz adia eleição para presidente do clube e oposição promete entrar na Justiça

A data sugerida para a realização das eleições é o dia 10 de fevereiro

SANTA CRUZ
Conselho Deliberativo do Santa Cruz adia eleição para presidente do clube e oposição promete entrar na Justiça

A eleição vai acontecer no final da Série C. - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Filipe Farias | Pedro Alves

Em reunião virtual realizada na noite desta quinta-feira (19), o Conselho Deliberativo do Santa Cruz tomou algumas decisões a respeito da eleição presidencial do clube. Após votação em um clima tenso e, muitas vezes, com o tom elevado, ficou decidido pelos conselheiros corais que a eleição à presidência do clube deve ser adiada para o final da Série C (data sugerida foi de 10 de fevereiro de 2021). Outra deliberação aprovada foi de que o pleito, mesmo em meio à pandemia, deveria promover a votação presencial e não a virtual, respeitando a tradição. Diante da decisão de adiamento da escolha do novo mandatário do clube, a oposição à atual gestão já declarou que vai buscar impugnar tal medida via Justiça.

A REUNIÃO

Mesmo o encontro sendo online, a discussão foi bastante acalorada entre alguns conselheiros corais, tendo, por vezes, que o presidente do CD tricolor, Paulo Borba, interrompesse o embate e fechasse o microfone de todos. Nos momentos mais brandos de fala, quando estava sendo deliberado o formato da eleição do clube, se virtual ou presencial; a oposição, representada pelo advogado André Frutuoso, candidato à presidente pela chapa Pró Santa, assumiu o compromisso de mobilizar os torcedores nas redes sociais dos grupos de oposição para levantar parte dos custos para promover uma eleição virtual – tem um custo aproximado de R$ 60 mil.

Entretanto, quando a votação foi aberta para os conselheiros decidirem, a maioria esmagadora não levou em consideração à pandemia do novo coronavírus e optou pela votação presencial, recebendo 46 votos, enquanto que apenas oito conselheiros votaram a favor de o pleito ser promovido de forma virtual. “Diante da votação, as eleições do Santa Cruz será como manda a tradição, de forma presencial, respeitando as normas de segurança sanitária diante da pandemia”, declarou Paulo Borba, presidente do Conselho Deliberativo do Santa Cruz.

Quando a pauta da reunião passou a discutir sobre o adiamento das eleições, um novo embate foi estabelecido entre os conselheiros. Enquanto que a ala que apoia a atual gestão defendia que a escolha do novo presidente coral ocorresse dez dias após o término da Série C – dia 10 de fevereiro de 2021 -, com o argumento de que a manutenção do pleito para 14 de dezembro poderia interferir na campanha do time do Santa Cruz dentro de campo, os conselheiros da ala de oposição se posicionaram contrários à postergação da eleição presidencial, pois tal medida iria de encontro ao Estatuto do clube.

“O Conselho Deliberativo não tem atribuição sobre a pauta de adiar ou não a eleição. O Estatuto do clube prevê que isso só cabe mediante a convocação de uma Assembleia Geral. Diante disso, voto contra o adiamento e se isso for levado adiante pelo Conselho, vou tentar impugnar judicialmente”, contestou o Desembargador Bartolomeu Bueno, ex-presidente do Conselho Deliberativo tricolor.

Na votação, mais uma vez, prevaleceu os votos dos conselheiros que apoiam a atual gestão, com 39 deles optando pelo adiamento da eleição à presidência tricolor, enquanto que 11 se manifestaram a favor da manutenção do pleito para a segunda semana se dezembro, como prevê o Estatuto do clube. “Se a justiça impugnar e entender que a eleição deve ser realizada em dezembro, ela será”, garantiu Paulo Borba, em suas considerações no encerramento da reunião.

JUSTIÇA

Procurado pela reportagem do Jornal do Commercio, Jhonny Guimarães, co-Líder do Movimento Intervenção Popular Coral (IPC), declarou que já esperava tal manobra do Conselho Deliberativo do Santa Cruz, mas que está tranquilo quanto ao adiamento, já que a Justiça já teria impugnado anteriormente sobre essa medida. Sabíamos que isso ia acontecer. Essa já é a terceira tentativa de adiar as eleições. Em outubro, tentaram estender o mandato deles até julho, mas entramos na Justiça e ela derrubou essa decisão e impediu o adiamento das eleições. Tentaram novamente no dia 5 de novembro e não conseguiram. E, hoje, reuniram muitos conselheiros que normalmente não vão às reuniões e conseguiram aprovar a prorrogação do próprio mandato até fevereiro do ano que vem. Mas é uma aprovação que não tem nenhum valor, principalmente na esfera jurídica, que impede a deliberação sobre o adiamento do pleito. O Conselho Deliberativo se reuniu apenas para tumultuar o ambiente político do Santa Cru”, declarou o conselheiro Tricolor.

Ainda segundo o próprio Jhonny Guimarães, uma nova medida judicial será tomada para que prevaleça o que diz o Estatuto do clube a eleição ocorra no mês de dezembro. “Vamos reunir o IPC, o Pró Santa e os outros movimentos de oposição para decidir qual será a nossa postura. Se vamos informar a decisão no processo que já existe por descumprimento ou se vamos ingressar com nova ação judicial. Infelizmente convivemos com essas ilegalidades no clube e temos de brigar dia e noite para que o mínimo seja feito, que é que o Estatuto seja cumprido. Deixo claro que não brigamos por uma data de eleição, mas que se ele tenha de ser adiada, que seja feita através de uma Assembleia Geral ou partir do sócio, que é o único que tem poder de decidir sobre isso”, comentou.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.