NÁUTICO

Após novo tropeço do Náutico, uniformizada protesta nos Aflitos


O Timbu empatou com o Vitória pelo placar de 0x0

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 26/11/2020 às 10:09
Bobby Fabisak/JC Imagem
FOTO: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

O momento ruim do Náutico tem gerado protestos da torcida, às vezes de maneira mais exaltada. Ao fim do jogo, próximo à saída dos vestiários do Timbu, cerca de 20 a 30 torcedores e integrantes de uniformizada protestaram cobrando raça, pedindo a saída de dirigentes e jogadores, de maneira mais efusiva. Contudo, o Batalhão de Choque da Polícia Militar se utilizou de bala de borracha e bomba de efeito moral para dispersar os torcedores do local e os retiraram da sede alvirrubra.

Durante essa má campanha do Náutico na Série B, não é o primeiro caso de protestos. Na última sexta-feira (20), no último treino do time antes de viajar para Maceió, onde enfrentou o CRB, integrantes de uma facção uniformizada que utiliza as cores do clube invadiram o Centro de Treinamento Wilson Campos para cobrar os jogadores por resultados. A direção, naquele dia, emitiu uma nota de repúdio e prometeu reforçar a segurança no CT.

No dia 10 de outubro, outra manifestação aconteceu, dessa vez no Aeroporto Internacional dos Guararapes, quando o Náutico retornou depois de perder para o América-MG, fora de casa. Ali, jogadores, dirigentes e comissão técnica foram cercados por aproximadamente 60 integrantes da uniformizada, alguns mais exaltados, cobrando resultados do time, com um ou outro mais exaltado com agressões verbais.

PODCAST

No décimo terceiro episódio do Na Cara do Gol, podcast do futebol pernambucano da Rádio Jornal, Alexandre Costa, Maciel Junior, Lilian Fonsêca e Marcos Leandro analisam a situação do Náutico na Série B do Campeonato Brasileiro. O programa vai ao ar toda segunda-feira, no canal da Rádio Jornal no YouTube.


Mais Lidas