Eleições no Sport

Em processo eleitoral marcado por indefinições, eleições do Sport seguem gerando divergências


Pleito eleitoral do Sport está marcado para esta sexta-feira, mas pode não acontecer

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 16/12/2020 às 14:02
SÉRGIO BERNARDO/JC IMAGEM
FOTO: SÉRGIO BERNARDO/JC IMAGEM
Leitura:

Pode-se dizer que esse processo eleitoral do Sport é um dos mais agitados da história do clube - talvez o maior. Isso porque, faltando menos de três dias para a realização das eleições, fica a dúvida se o pleito, que até a publicação desta matéria está marcado para o dia 18 de dezembro, vai acontecer. Na manhã desta quarta-feira, durante o programa Bate Rebate, apresentado pelo comentarista Ralph de Carvalho, da Rádio Jornal, mais um capítulo dessas divergências infindáveis sobre o pleito do Leão, onde os entrevistados foram o presidente da Comissão Eleitoral do Sport, Frederico Guilherme, e o pré-candidato à presidência Eduardo Carvalho.

Ao ser questionado sobre o processo eleitoral, Frederico Guilherme afirmou que, como presidente da Comissão, não tem como tomar nenhuma decisão porque a questão está sob judice. Vale lembrar que, na última terça-feira, o Sport publicou uma nota em seu site oficial afirmando que vai recorrer das liminares que mantêm as eleições em dezembro, com a justificativa de que o clube não quer descumprir o decreto do Governo Estadual e nem tem como realizar o pleito de forma virtual.

"Eu, como presidente do Conselho, não tenho como tomar nenhuma decisão porque a questão está sob judice. No que diz respeito a motivação do clube para esse fato, é público e notório que há um decreto governamental, que cria uma série de dificuldades para a realização de eventos que ultrapassem um determinado número de pessoas. Na verdade, esse posicionamento jurídico com relação a essas questões, será do próprio Sport e do seu departamento jurídico, e não do presidente da Comissão Eleitoral. Não serei eu que terei competência para resolver esse questionamento. E a menos que surja uma nova decisão, estou aqui no aguardo que as coisas voltem ao normal e a gente possa dar andamento ao processo eleitoral, que é o meu objetivo nesse momento no Sport", afirmou o presidente da Comissão Eleitoral do Sport.

"Todas as providências para a realização dessas eleições foram tomadas. Inclusive, se não me engano, o último ato para a concretização disso foi a minha nomeação como presidente do conselho eleitoral. A partir de então, com as inscrições, o conselho eleitoral é quem trata da questão do registro... enfim, a parte da eleição propriamente dita começa conosco. Eu tomei conhecimento dessa decisão do magistrado por força de uma medida cautelar impetrada pelo Dr Eduardo (Carvalho), inclusive. A decisão judicial deve ser cumprida. No nosso caso, há uma situação jurídica que é pertinente. O Sport ingressou contestando essa liminar. Quer dizer, ele não reconhece essa liminar e judicialmente está contestando essa liminar. Então essa liminar não vai poder produzir efeitos, até que a corte superior, que no caso seria o Tribunal, um agravo de instrumento, ou então o prolator da decisão voltar atrás, mas a sequência disso é essa decisão ser discutida no Tribunal de Justiça", completou Frederico Guilherme.

OUTRO LADO

Após a fala do presidente da Comissão Eleitoral do Sport, o pré-candidato à presidência do Sport Eduardo Carvalho, afirmou que, desde a sexta-feira passada, o presidente em exercício, Carlos Frederico, deveria ter adotado todas as providências necessárias para que o pleito seja realizado no dia 18 de dezembro. No entanto, de acordo com Eduardo, nenhuma medida foi adotada até aqui. "Em primeiro lugar: o Sport tem que estar até que o recurso, que seria um agravo, seja impetrado e recebido ou não, o Sport tem que cumprir a liminar que está de pé", explicou.

"Desde sexta-feira o presidente em exercício (Carlos Frederico) deveria, por força da liminar, estar adotando todas as providências para realizar as eleições no dia 18, de preferência, como diz a liminar, de forma virtual. Pelo que me consta, nenhuma providência foi adotada para que essa realização do dia 18 se realize", completou Eduardo, que ainda relembra que não foi possível registrar as chapas para as eleições, cujo o prazo para essas inscrições era dia 30 de dezembro, data em que o Conselho Deliberativo aprovou o adiamento do pleito para março.

"Quero lembrar ao meu querido Fred que não houve expediente na sexta-feira que antecedeu o último dia de inscrições da chapa (dia 30) e nem no famigerado dia 30 de novembro, impedindo que as chapas fossem registradas. Em resumo: a liminar está de pé e o atual presidente do Sport não pode deixar de cumpri-la porque pretende ingressar com um recurso. Ele só vai estar isento de cumprir esta liminar ou cessar de cumprir, no momento em que apresentar o seu recurso, e na eventualidade do seu recurso ser recebido um efeito suspensivo. Como o próprio nome sugere, suspende, para. Ele pode simplesmente ser recebido num efeito devolutivo. Ou seja, não para nada, a liminar continua de pé e o objeto do agravo será examinado quando houver pauta para isso", afirmou.

E o futuro? Faltando pouquíssimos dias para as eleições do Sport, marcadas para o dia 18 de dezembro até o momento, o cenário é de completa indefinição. "Na eventualidade do presidente atual não ter atendido qualquer medida que atendesse o que foi determinado pela liminar, há uma multa prevista na liminar. E essa multa vai ser executada em favor do Sport", afirmou Eduardo Carvalho, que não descarta um pedido de intervenção dentro do comando do clube.

"O segundo ponto é: enquanto não houver um acatamento do pedido de suspensão da liminar, o presidente executivo tem que tomar as providências. Se essas providências não forem adotadas, nós vamos agir no processo, no limite do pedido da intervenção dentro do comando do Sport para que o juiz nomeie o interventor e esse interventor opere as eleições junto com o Dr Fred. O que não pode acontecer é o Sport ser vítima de uma atitude irresponsável, de um planejamento que está sendo impulsionado por um grupo que não quer sair do Sport, e que ficou muito claro no áudio de Milton Bivar para Arsênio Meira dizendo que as eleições estavam prontas e que bastava que eles arrumasse um candidato", finalizou.


Mais Lidas