SÉRIE C

Santa Cruz bate o Brusque, mas Vila Nova também vence e conquista o acesso à Série B


Apesar da vitória por 3x1, o Tricolor pernambucano bateu na trave e não conseguiu o tão sonhado retorno à Segunda Divisão

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 17/01/2021 às 19:59
Alexandre Gondim/ JC Imagem
FOTO: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Leitura:

O Santa Cruz fez a sua parte na última rodada do quadrangular final, venceu o Brusque (2º, com nove) por 3x1, neste domingo (17), no estádio do Arruda, mas o acesso não foi concretizado. Isso porque o único resultado que não poderia sair no outro jogo acabou acontecendo: o Vila Nova (1º, com 10 pontos) venceu o Ituano (4º, com cinco) por 1x0 e, com isso, acabou ficando com a vaga do Tricolor pernambucano (3º, com oito), garantindo o seu retorno à Segundona e ainda vai disputar o título da Série C com o Remo, que terminou na primeira colocação da outra chave.

Pipico, Victor Rangel e William Alves marcaram para a Cobra Coral, enquanto que Thiago Alagoano descontou de pênalti para a equipe catarinense - que já tinha conquistado o acesso com uma rodada de antecedência.

Sem o acesso, o Santa Cruz vai para o quarto ano consecutivo na Terceira Divisão.

O JOGO

Diante do jogo mais importante da temporada, o Santa Cruz entrou em campo pressionado pelos próprios objetivos. Mesmo não dependendo só de si para conquistar o acesso, os jogadores tricolores estavam cientes que precisavam, em primeiro lugar, fazer a sua parte e conseguir a vitória diante do Brusque. Sem se importar com o jogo entre Ituano e Vila Nova.

E foi isso que a equipe coral fez. Por mais que, nos primeiros minutos, fosse perceptível um pouco de nervosismo, o Santa conseguia impor o seu jogo em busca de abrir o placar. E tal objetivo não demoraria a ser atingido. Após cobrança de escanteio de Didira na segunda trave, aos 13, Bileu conseguiu cabecear para cima, a bola ficou no bate-rebate e Pipico consegue finalização... A bola desvia em João Carlos, volta no peito de Pipico e entra: 1x0.

O Brusque não se mostrava inspirado na criação das jogadas ofensivas; já nas defensivas, abusava das faltas duras. Principalmente no setor de meio de campo, na tentativa de esfriar as tramas da equipe tricolor, que seguia em cima querendo ampliar o placar.

Os comandantes do técnico Marcelo Martelotte se mostravam muito lúcidos do que precisavam fazer para conquistar os três pontos. Sem afobação, aos poucos, iriam construindo o caminho para assegurar a vitória. Aos 31, o meia Didira arriscou um forte chute de longa distância, o goleiro Ruan Carneiro espalmou para o lado... No rebote, Victor Rangel dominou dentro da área, driblou o marcador e tocou com categoria no cantinho: 2x0.

O Santa Cruz se mostrava incansável. Aos 37, o lateral-direito Toty levantou bola na área, o goleiro Ruan Carneiro saiu na jogada, mas acabou não achando a bola... O zagueiro William Alves não acreditou que o arqueiro do Brusque fosse furar e também acabou deixando a bola passar, desperdiçando a chance de fazer o terceiro.

Na volta para a segunda etapa, o Tricolor pernambucano seguia com o mesmo nível de concentração, pensando apenas em ampliar o marcador e fazer a sua parte. Sem muita dificuldade, o terceiro gol saiu com naturalidade. Aos 15, Chiquinho cobrou escanteio para William Alves subir no terceiro andar, livre de marcação, e testar para o fundo das redes: 3x0.

Quando o jogo já parecia sacramentada, o Brusque ainda esboçou uma reação. Aos 27, o atacante Marco Antônio fez jogada na entrada da área e foi derrubado por Victor Rangel no limite, já na linha da grande área: pênalti. Na cobrança, Thiago Alagoano diminuiu para a equipe catarinense: 3x1.

O Tricolor conseguiu manter o placar e assegurar a vitória.

Ficha do jogo

SANTA CRUZ

Maycon Cleiton; Toty, Danny Morais (Célio Santos), William Alves e Leonan; Bileu, Paulinho (Tinga) e Didira; Chiquinho, Victor Rangel (Lourenço) e Pipico. Técnico: Marcelo Martelotte.

BRUSQUE

Ruan Carneiro; João Carlos, Ianson, Alemão e Airton; Augusto Potiguar (Índio), Zé Mateus e Thiago Alagoano; Edilson (Jefferson Renan), Garcez (Dênis) e Marco Antônio (Gustavo Henrique). Técnico: Jerson Testoni.

Local: estádio do Arruda, no Recife (PE).
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ).
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa e Diogo Carvalho Silva (ambos do RJ).
Gols: Pipico, aos 13 minutos, e Victor Rangel aos 31 do 1º tempo. William Alves, aos 15, e Thiago Alagoano, aos 29, do 2º tempo.
Cartões amarelos: Leonan (STC) e Marco Antônio, Rodolfo Potiguar, Índio (BRU).


Mais Lidas