LaLiga ataca criação da Superliga europeia: 'uma competição elitista e separatista'

Entidade que organiza o Campeonato Espanhol diz que a Superliga ataca os princípios da competição aberta e do mérito desportivo

MANIFESTAÇÃO
LaLiga ataca criação da Superliga europeia: 'uma competição elitista e separatista'

Real Madrid e Barcelona fazem parte dos 12 clubes fundadores da Superliga europeia - Foto: Reprodução Twitter do Barcelona

Da redação, com agência

A criação da Superliga europeia está repercutindo bastante no mundo do futebol. A atitude dos 12 clubes fundadores (Arsenal, Liverpool, Chelsea, Tottenham, Manchester United e Manchester City, da Inglaterra; Juventus, Milan e Internazionale, da Itália; além de Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madrid da Espanha) não vem agradando somente às entidades que comandam o futebol mundial e europeu (Fifa e Uefa), como também vem despertando a indignação dos organizadores das principais ligas do velho continente.

Por meio de nota oficial, a LaLiga se manifestou de forma contrária à Superliga, a quem definiu de 'competição europeia elitista e separatista' e que não tem como prioridade o lado esportivo.

CONFIRA A NOTA DA LALIGA

Madrid, 19 de abril de 2021LaLiga condena veementemente a proposta recentemente publicada de uma competição europeia elitista e separatista, que ataca os princípios da competição aberta e do mérito desportivo, que estão no cerne da pirâmide do futebol nacional e europeu.

Hoje, os fãs de futebol em toda a Europa podem sonhar que o seu clube, não importa o tamanho, possa se destacar, chegar ao topo e competir no auge do futebol europeu. A LaLiga defende esta tradição europeia de futebol para todos. O conceito proposto por 12 clubes europeus destrói esse sonho, fechando a porta ao topo do futebol europeu, permitindo entrar apenas uma elite.

A LaLiga tem uma história orgulhosa de 90 anos como uma competição aberta e baseada no mérito. Milhões de fãs em todo o mundo seguem os 42 clubes da LaLiga Santander e da LaLiga SmartBank. O sucesso de nossas competições ajudou o futebol a se tornar um importante contribuinte para a economia espanhola, respondendo por quase 1,4% do PIB e criando empregos para quase 200.000 pessoas.

A recém-proposta competição europeia de elite nada mais é do que uma proposta egoísta e destinada a enriquecer ainda mais os já super ricos. Isso prejudicará o apelo de todo o jogo e terá um impacto profundamente prejudicial no imediato e no futuro da LaLiga, de seus clubes membros e de todo o ecossistema futebolístico.

Além disso, a liga separatista ameaça o resto dos esportes espanhóis para os quais, na atual temporada, a LaLiga contribuirá com mais de 126 milhões de euros como parte de seu acordo com o governo espanhol e a federação espanhola. Esta destruição do ecossistema do futebol europeu também acabará por causar o fracasso desta nova competição e dos seus clubes participantes, que construíram o seu sucesso com base na conquista de títulos e triunfos desportivos, que agora serão mais limitados.

Usamos todas as medidas à nossa disposição e trabalhamos com todos os interessados para defender a integridade e o futuro do futebol espanhol no melhor interesse do jogo.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.