Sport carece de uma reformulação no elenco para a disputa da Série A

Plantel rubro-negro conta com cerca de 35 jogadores. Alguns setores estão inchados e a saída de algumas peças se faz necessária

SÉRIE A
Sport carece de uma reformulação no elenco para a disputa da Série A

Umberto Louzer já declarou que está empenhado em conhecer o elenco do Sport - Foto: Anderson Stevens/ Sport

Filipe Farias | Twitter: @_filipefarias

Sem dúvidas, o primeiro - talvez o mais árduo - trabalho do técnico Umberto Louzer no comando do Sport será o de conhecer o que tem em mãos para trabalhar. Afinal, muitos os jogadores do Sport não tiveram a oportunidade de fazerem parte da curta carreira do treinador de 41 anos. Entretanto, ao que tudo indica, dificilmente todos os atletas terão a chance de trabalhar com o novo comandante rubro-negro por muito tempo. Como o elenco leonino está bastante inchado (o grupo conta com cerca de 35 jogadores), alguns nomes não devem permanecer no clube. É inegável que há uma necessidade de reformulação no elenco; até mesmo para abrir espaço na folha salarial já visando novas contratações para a disputa da Série A.

Algumas posições, por exemplo, contam com atletas em excesso e, muitos, com qualidade técnica questionável para encarar o Brasileirão. É o caso da cabeça de área. Atualmente, o Leão conta com nove volantes: Marcão, Ronaldo Henrique, Ricardinho, Betinho, Márcio Araújo (contrato encerra em junho), Zé Welison, Rentería, João Igor (lesionado) e Italo (da base).

Como Umberto Louzer é um treinador que gosta de comandar um time propositivo, bem postado em campo e que saiba o que fazer quando está com a bola, características totalmente opostas ao do antecessor (Jair Ventura, que optava por uma formação reativa e com linhas baixas, sem fazer questão de ficar com a posse de bola), muitos desses volantes terão dificuldades para se encaixar no estilo de jogo do novo treinador leonino, pois já demonstraram pouca eficiência em campo no período que estão no clube. E, uma negociação de empréstimo, poderia ser a melhor saída para alguns deles.

Talvez, para essa nova filosofia de trabalho que será desenvolvida no Sport, o nome de Rodrigo Lindoso se encaixaria melhor nesse perfil de equipe - o volante do Internacional não está nos planos do técnico espanhol Miguel Ángel Ramírez e é especulado na Ilha do Retiro.

ATAQUE

No setor ofensivo rubro-negro também se faz valer a premissa de que quantidade não é sinônimo de qualidade. Atualmente, o ataque leonino também conta com nove jogadores: Neilton, Toró, Dalberto, Tréllez, Mikael, Maxwell, Hernane Brocador (fora dos planos) Marquinhos e Barcía (ambos se recuperando de lesão).

Porém, diferentemente da cabeça de área, a maioria dos atacantes foram contratados para a atual temporada e, até agora, não convenceram; casos de Tréllez, Neilton, Toró e Maxwell. Quem mais vem rendendo no setor é, curiosamente, o prata da casa Mikael. Ele vem aliando as boas atuações com os gols (seis, em 2021) e já faz por merecer uma sequência como titular - Louzer já disse em coletiva que vai dar mais oportunidades a base e elogiou o centroavante.

Com isso, nesse caso, Umberto Louzer terá essa missão de fazer com que esses atletas passem a render com a camisa rubro-negra, já que foram anunciados há poucos meses e uma negociação envolvendo a saída de algum deles - com exceção de Brocador - seria improvável.

O nome do pernambucano Everaldo, do Corinthians, mais uma vez surge forte como provável contratação. Porém, a chegada do atacante de 26 anos, dificilmente, resolveria os problemas dos lados de campo do ataque leonino. Agregaria, mas o Sport precisa de reforço para não sofrer com a falta de gols no Brasileirão - Everaldo marcou apenas 12 gols nos últimos três anos e ainda não atuou em 2021.

CARÊNCIAS

Para o Sport não passar o sufoco da temporada passada e fazer uma Série A mais consistente, não basta contratar. Umberto Louzer, Nei Pandolfo e a direção de futebol leonina precisam ser assertivos para, de fato, reforçarem a equipe. Buscar atletas que cheguem para serem titulares. E há posições carentes aguardando por essas peças.

A primeira, sem dúvidas, é na meta rubro-negra. Maílson e Luan Polli não inspiram confiança há algum tempo e, ambos, já comprometeram algumas vezes que receberam oportunidades. Já Carlos Eduardo, quando, enfim, ganhou a chance de ter uma sequência (e vinha aproveitando bem), acabou sofrendo uma lesão mais delicada no rosto e sendo obrigado a ficar por cerca de 90 dias longe dos gramados.

Outra posição que merece uma atenção especial é na lateral-direita. Apesar de ter sido um nome importante na luta do Sport para escapar do rebaixamento, Patric não vem rendendo o mesmo da atual temporada. E, para piorar, não tem um reserva a altura que desperte nele essa competição interna - o imediato é o garoto Ewerthon, que atua mais como um ala ou atacante de lado.

Por fim, o setor de criação do Leão pode ganhar um incremento para a disputa da Série A. É bem verdade que Thiago Neves (36 anos) busca desequilibrar nas bolas paradas, o recém-contratado Thiago Lopes vem desencantando e já marcou dois gols nos últimos dois jogos, e o garoto Gustavo tem sido uma grata surpresa, demonstrando muita qualidade técnica; mas ainda é pouca munição para a disputa de uma competição tão longa e tão acirrada como o Brasileirão.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.