CAMPEONATO PERNAMBUCANO

'Nos dois jogos, nós atropelamos', diz Hélio dos Anjos após título do Náutico


O treinador alvirrubro conversou com o repórter João Victor Amorim, da Rádio Jornal, após o fim da final do Pernambucano

Gustavo Henrique Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Publicado em 23/05/2021 às 19:35
Alexandre Gondim/ JC Imagem
FOTO: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Leitura:

Após a final do Campeonato Pernambucano entre Náutico e Sport, o treinador Hélio dos Anjos conversou com o repórter João Victor Amorim, da Rádio Jornal, e falou sobre dificuldades durante a jornada, amor à família e enalteceu o título alvirrubro. Para Hélio, o Timbu atropelou o rival nas duas partidas da finalíssima.

>>>Náutico quebra tabu de 47 anos sem título nos Aflitos, vence o Sport e é campeão Pernambucano

>>>'Ganhou quem foi o melhor ao longo da competição', diz Jean Carlos, após título do Náutico

>>>Atacante comemora título pelo clube do coração e deixa futuro no Náutico em aberto

"Passamos por muitas dificuldades, mas acima de tudo, muito companheirismo. (...) Agora, o título, é o que me dá vida. E vou falar uma coisa com toda sinceridade e com todo respeito ao trabalho que o Sport faz. Na minha visão, nos dois jogos, nós atropelamos. Agora, não somos melhores do que ninguém. Mas os dois jogos nós atropelamos e infelizmente tivemos que ir para os pênaltis. E todo respeito ao Sport, ao trabalho do grande Humberto que com certeza vai render ótimos frutos para o clube", disse Hélio dos Anjos, durante a entrevista.

O treinador aproveitou para relembrar o início da campanha, com a sua chegada no Náutico. Hélio ressaltou o carinho que tem pela família e como manteve a prioridade no clube. "No dia em que eu fui contratado pelo Náutico, eu estava na fila de embarque em Florianópolis com meu genro mostrando ao vio o nascimento do meu neto (por chamada de vídeo). Meu neto nasceu no dia que cheguei aqui. Tô morrendo de saudade dele, to louco para ver minha casa nova mas o Náutico neste momento é mais importante que tudo. Sempre tive uma atenção enorme com a minha família, com a família da minha esposa, mas neste momento o Náutico é a prioridade".

 

Treinador da velha guarda

No diálogo, o técnico aproveitou para falar sobre a chegada de treinadores jovens no futebol e emitiu opinião pessoal sobre o assunto. Segundo ele, todos têm liberdade com o mesmo, porém, a decisão final deve ser sempre do treinador. "Eu valorizo e aprendo com os jovens treinadores de futebol. Valorizo os que fazem o curso da CBF academia. Mas o problema dos jovens é que eles acham que descobriram o futebol agora. Aprendo com meu jogador, com meu porteiro, com nosso cozinheiro. O tempo todo estamos aprendendo. Agora futebol, quero deixar bem claro. O que vale no futebol é trabalhar com a consistência. Você pode mudar para conseguir algo, mas você tem que ter consistência", disse.

"Não tenho compromisso com modernismo. Não vai ser analista de desempenho que vai tocar o clube. Quem monta o time para mim, não é analista. Se não passar pelo meu crivo, não entra. Porque eu sou pago para decidir. Se de repente eu não tiver competência para decidir, eu não to fazendo o meu trabalho"

"Ah, mas dizem que o Hélio é antigo. Não é assim. Todo mundo tem liberdade comigo. Todos os profissionais. Agora, decisão final é comigo porque eu gosto e é assim", finalizou.


Mais Lidas