ARTIGO

Sob o comando de Hélio dos Anjos, Náutico se tornou 'Timbatível' e caminho para o acesso está sendo construído


Confira o artigo sobre o atual momento do Náutico

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 15/06/2021 às 22:46
Bobby Fabisak/ JC Imagem
FOTO: Bobby Fabisak/ JC Imagem
Leitura:

Ninguém segura o 'Timbatível'. A arrancada inicial do Náutico na Série B, liderando de forma isolada com quatro vitórias em quatro jogos, sete gols marcados e apenas um sofrido e 100% de aproveitamento não é à toa. O trabalho executado no elenco alvirrubro não começou agora. Vem lá de trás.

Desde novembro do ano passado, quando Hélio dos Anjos foi anunciado como treinador da equipe. Na ocasião, para salvar o time do rebaixamento. Não só conseguiu, como obteve aproveitamento de time do G-4. Na atual temporada, o Náutico seguiu apresentando o melhor futebol do Estado e conquistou, com merecimento, o título Pernambucano. Porém, precisava provar o seu valor a nível nacional. E vem provando.

Para os céticos que desconfiavam (inclusive esse que vos escreve) do potencial do time alvirrubro e queria vê-lo medindo forças com equipes mais fortes no Brasileiro, a resposta está vindo dentro de campo. Com resultados. Mas não meras vitórias, construídas do acaso.

O Náutico joga por música. Com os jogadores atuando na batida exata do maestro Hélio dos Anjos. Cada um executando os movimentos corretos, seja no ataque ou na defesa. Hoje, o Náutico, é sinônimo de coletividade.

>> Olhando pelo retrovisor, Náutico vence o Vila Nova e se isola na liderança da Série B

Dentro das quatro linhas, o repertório timbu é extenso e deixa a time imprevisível. Dificultando o adversário de compreender as jogadas e antecipar as ações na tentativa de bloquear as investidas. Tentativas em vão. Afinal, o Náutico de Hélio dos Anjos tem se mostrado imbatível.

Em casa, por exemplo, o Timbu ainda não perdeu desde que o treinador foi contratado, são 18 jogos, sendo 13 vitórias e cinco empates como mandante. A última derrota do Náutico nos Aflitos foi contra a Ponte Preta, no dia 12 de outubro do ano passado.

Por mais que os números falem por si só, o rendimento atual do Náutico transcende as estatísticas. Mesmo o time ainda carecendo de peças, o Timbu tem os melhores 11 (time titular) da Série B. Falei sobre isso, inclusive, no programa Blog do Torcedor no Ar do dia 26 de maio, antes mesmo do início da Segundona. (Confira no vídeo abaixo).

E, ao fazer tal avaliação, não me limito apenas a qualidade dos atletas, mas também ao conjunto. Ao encaixe que Hélio dos Anjos conseguiu dar time. Ao trabalho de campo. As jogadas bem executadas. Ao entrosamento não só entre os 11 titulares... Pois, até mesmo quando Matheus Trindade, Marciel são acionados, o time não perde qualidade. Por quê? Deu liga.

Além disso tudo, o Náutico tem um plantel unido, algo perceptível numa simples foto nas comemorações dos gols, que já virou a marca registrada desse elenco: 'A tropa alvirrubra' posando todos de braços cruzados para o registro das lentes do fotógrafo oficial do clube. Isso, no futebol, se chama grupo fechado. Todos querendo o mesmo objetivo.

Náutico encara o Vitória, em Salvador
'A Tropa Alvirrubra' comemora mais um gol do Náutico
Alexandre Gondim/ JC Imagem

 

REFORÇOS

Agora, cabe a diretoria do Náutico manter as obrigações do clube em dia até o final da temporada e entregar peças mais qualificadas para Hélio dos Anjos. Pois, se com um elenco ainda não tão qualificado, ele vem obtendo resultados expressivos, com a chegada de reforços pontuais o acesso alvirrubro à elite do futebol brasileiro pode se tornar uma realidade mais cedo do que o torcedor espera.

 

* Texto opinativo do jornalista Filipe Farias, da Rádio Jornal.


Mais Lidas