ENTREVISTA

Rivellino afirma que Neymar jogaria na seleção da Copa de 1970: 'sairia o Tostão'

O ex-meia participou do programa Arena SBT, falou do futebol atual da seleção brasileira e elogiou o camisa 10 do PSG

Filipe Farias Batista
Filipe Farias Batista
Publicado em 25/06/2021 às 16:33
Lucas Figueiredo/ CBF
FOTO: Lucas Figueiredo/ CBF
Leitura:

Um dos craques da icônica seleção brasileira campeã da Copa do Mundo de 1970, Rivellino, em entrevista ao programa Arena SBT, declarou que o atacante Neymar tinha vaga no time titular do escrete canarinho que conquistou o Tri Mundial, no México. Para o ex-meia, o camisa 10 da seleção e do PSG entraria na vaga de ninguém mais, ninguém menos, que Tostão.

"Pra mim, o Neymar jogava em 70. Pela qualidade dele", declarou Rivellino, para em seguida apontar quem deixaria os 11 titulares. "Tostão sairia. Eu tirava o Tostão e colocava o Neymar. Estou falando sério. É um jogador que jogaria em 1970", afirmou o ex-meio-campista.

Além do atual camisa 10 da seleção brasileira, Rivellino apontou outro craque brasileiro que teria espaço na seleção comandada por Zagallo na Copa do Mundo do México. "Outro jogador que jogaria em 70 era o Romário. Também no lugar do Tostão. Pela característica. Já o Ronaldo Fenômeno, eu adoro ele, amo de paixão, mas ele tinha uma característica diferente (da seleção de 70)... Era ele, de pegar a bola e ele resolvia", explicou o ex-meia de Corinthians e Fluminense. "Eu sempre falei de Romário, mas hoje eu falo de Neymar de boca cheia. A qualidade desse cara, meu Deus. Eles (Neymar e Romário) iam se adaptar a nossa maneira de jogar", complementou.

NÃO TERIA ESPAÇO

Apesar de muito amigo de Zico, Rivellino acredita que o ex-meia do Flamengo não teria vez no escrete da Copa de 1970. "O galo (Zico) não jogaria. O complicador pra ele é que tinha de tirar o Pelé", disse aos risos. "Mas o galo poderia auxiliar a gente lá dentro", contou.

Por fim, o tricampeão mundial falou que o futebol atual não lhe enche os olhos. "Sou saudosista. Adoro futebol antigo. Respeito o futebol de hoje, mas não me agrada. A qualidade técnica é baixa", opinou Rivellino.

A seleção brasileira comandada por Tite entra em campo no próximo domingo (27), para encarar o Equador, às 18h (de Brasília), no estádio Olímpico, de Goiânia, pela última rodada da fase de grupos da Copa América. Os brasileiros já estão classificados às quartas de final da competição como líder do Grupo B.

Mais Lidas