ELIMINATÓRIAS

Mesmo em noite pouco inspirada, Brasil vence o Chile e se mantém isolado na liderança das Eliminatórias

Seleção brasileira bateu os chilenos por 1x0, no estádio Monumental de Santiago, com gol de Everton Ribeiro

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 03/09/2021 às 0:04
Lucas Figueiredo/ CBF
FOTO: Lucas Figueiredo/ CBF
Leitura:

Mesmo deixando a desejar tecnicamente e não fazendo uma boa partida, a seleção brasileira conseguiu arrancar a vitória fora de casa contra o Chile, por 1x0, nesta quinta-feira (2), no estádio Monumental de Santiago, pela 9ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022, no Catar. O único gol da partida foi marcado por Everton Ribeiro, no segundo tempo. Com o triunfo, o Brasil segue isolado na liderança, agora, com 21 pontos, seis a mais que a vice-líder Argentina.

O escrete canarinho volta a campo no próximo domingo (5), quando encara os argentinos, às 16h (de Brasília), na Neo Química Arena, em São Paulo, em jogo atrasado válido pela 6ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas.

O JOGO

Apesar de liderar as eliminatórias, o Brasil não conseguiu se impor diante da seleção chilena, em Santiago. Um dos motivos, talvez, sentindo a falta dos jogadores que atuam na Premier League (Richarlison, Firmino, Gabriel Jesus e Fred), que não foram liberados por seus clubes. Sem ter nada a ver com isso, o Chile tratou de impor um ritmo mais forte logo no início da partida.

Em determinados momentos, a seleção brasileira estava encolhida em seu campo defensivo, por vezes, com os 11 jogadores atrás da linha do meio de campo. Diante de uma postura tão retraída, natural que a primeira chance de gol fosse dos donos da casa. Aos 19, o atacante Vargas recebeu passe da intermediária, aproveitou a liberdade que tinha e disparou um potente chute, mas a bola acabou subindo e passando por cima da meta de Weverton.

Os comandados de Tite encontravam dificuldades para trabalhar a bola no meio de campo e a troca de passes era inexistente. Com isso, a única chance criada foi na base do contra-ataque. Aos 26, após cobrança de escanteio chilena, Gabigol partiu em contra-ofensiva, deixando os marcadores para trás e, quando apertado por Medel, tocou no meio para Neymar chegar livre para finalizar, mas acabou isolando a bola.

Se na primeira chance do Chile, o goleiro brasileiro não foi acionado, na segunda ele teve de mostrar trabalho. Aos 29, falta de média distância para o Chile, Vidal cobrou com bastante violência, Weverton espalmou pra frente e, no rebote, Vargas cabeceou firme, obrigando o camisa 12 a fazer uma bonita defesa a queima roupa, salvando o Brasil pela segunda vez.

Brasil encontrou dificuldade diante da seleção chilena
Brasil encontrou dificuldade diante da seleção chilena
Lucas Figueiredo/ CBF

Melhor no primeiro tempo, o meio-campista Vidal incomodava bastante os brasileiros. Aos 38, o chileno desceu pela esquerda, se livrou da marcação e arriscou chute de longe, colocando Weverton mais uma vez em situação de risco e obrigando-o a espalmar para o lado.

Na volta para a etapa complementar, os chilenos voltaram com o mesmo ímpeto ofensivo e Aránguiz só não abriu o placar, aos três minutos, porque Ale Sandro chegou dando um carrinho dentro da área e travando o chute do meio-campista.

Mesmo não apresentando o seu melhor futebol, o Brasil conseguiu abrir o placar. Aos 18, Danilo recebeu passe de Gabigol, passou por dois adversários e cruzou para a entrada da área... Éverton Ribeiro com um toque na bola, deixou Neymar na cara do gol... Ele finalizou em cima de Claudio Bravo, mas, no rebote, Everton Ribeiro finalizou com precisão para abrir o placar: 0x1.

Atrás do placar, a seleção chilena resolveu apelar para a violência e a partida ficou bastante faltosa. Em apenas dois minutos, Morales e Pulgar foram amarelados por faltas duras em Alex Sandro e Neymar, respectivamente.

A estratégia do Chile não funcionou e o Brasil segurou a vitória até o apito final.

Ficha do jogo

CHILE

Claudio Bravo; Paulo Diaz (Palacios), Medel e Maripán; Isla, Aránguiz (Valdés), Arturo Vidal, Pulgar e Mena; Eduardo Vargas e Iván Morales (Jiménez). Técnico: Martín Lasarte.

BRASIL

Weverton; Danilo, Éder Militão, Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro, Bruno Guimarães (Gérson) e Lucas Paquetá; Vinícius Júnior (Everton Ribeiro), Neymar e Gabigol (Matheus Cunha). Técnico: Tite.

Local: estádio Monumental, em Santiago (CHI).
Árbitro: Diego Haro, do Peru.
Assistentes: Jonny Bossio e Jesus Sanchez, ambos do Peru.
Gol: Éverton Ribeiro, aos 18 do 2º Tempo.
Cartões amarelos: Morales, Pulgar, Maripán (CHI) e Bruno Guimarães, Marquinhos, Gérson, Neymar (BRA).

Mais Lidas