polêmica

Presidente interino da CBF fala sobre quem liberou os atletas da Seleção Argentina para o jogo contra o Brasil

Quatro jogadores da Seleção Argentina foram acusados pela Anvisa por violação sanitária e deveriam ser deportados

Publicado em 05/09/2021 às 17:40
Arquivo/Carlos Santana/FBF
FOTO: Arquivo/Carlos Santana/FBF
Leitura:

Após a confirmação de que a partida entre Brasil x Argentina foi suspensa, o presidente interino da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ednaldo Rodrigues, se pronunciou sobre a liberação para que os atletas Emiliano Martínez e Buendía, que atuam no Aston Villa, e Cristian Romero e Lo Celso, jogadores do Tottenham, entrassem em campo neste domingo (05). Em entrevista à TV Globo, ele afirmou que a entidade máxima do futebol brasileiro não teve nada haver com o caso.

> Brasil x Argentina: Veja momento em que jogo foi interrompido neste domingo (5)

''Nos causou muita estranheza (retirar os atletas) a Anvisa deixar para que a situação aconteça durante a partida. A CBF não fez parte de qualquer negociação para retirar ou colocar jogador (em campo). A CBF respeita os protocolos sanitários. A Anvisa chegou a dizer que permitiria que os atletas jogassem e depois da partida seriam deportados'', afirmou.

Ainda de acordo com o presidente interino da CBF, a Anvisa estava com a delegação da Argentina, desde que chegaram ao país durante a semana. ''É lamentável um episódio deste tipo, e isso em momento algum a CBF teve qualquer participação. Há três dias, a Anvisa acompanha a Seleção Argentina. Se tem um protocolo dizendo quais são as normas em relação a entrada de pessoas no Brasil'', comentou Ednaldo Rodrigues, em entrevista à TV Globo. Confira abaixo a nota da CBF na íntegra:

A CBF defende a implementação dos mais rigorosos protocolos sanitários e os cumpre na sua integralidade. Porém ressalta que ficou absolutamente surpresa com o momento em que a ação da Agência Nacional da Vigilância Sanitária ocorreu, com a partida já tendo sido iniciada, visto que a Anvisa poderia ter exercido sua atividade de forma muito mais adequada nos vários momentos e dias anteriores ao jogo.

A CBF destaca ainda que em nenhum momento, por meio do Presidente interino, Ednaldo Rodrigues, ou de seus dirigentes, interferiu em qualquer ponto relativo ao protocolo sanitário estabelecido pelas autoridades brasileiras para a entrada de pessoas no país. O papel da CBF foi sempre na tentativa de promover o entendimento entre as entidades envolvidas para que os protocolos sanitários pudessem ser cumpridos a contento e o jogo fosse realizado.

A CBF reitera sua decepção com os acontecimentos e aguarda a decisão da CONMEBOL e da FIFA em relação à partida.

O que acontece agora?

A FIFA é quem autoria para decidir o que vai acontecer com o jogo. Ou seja, se vai ser dada vitória para o Brasil, remarcar o duelo contra a Seleção Argentina ou até mesmo punir a Seleção Brasileira pela invasão dos vigilantes da Anvisa no campo. Vale lembrar que o W.O não é possível, pois os argentinos foram para a partida na Neo Química Arena, em São Paulo.

> Anvisa interrompe jogo entre Brasil x Argentina para retirar jogadores que mentiram ao entrar no país

Através da redes sociais, a Conmebol informou que a partida foi suspensa por decisão do árbitro principal do jogo de Brasil x Argentina e do comissário, e que um relatória será enviado à entidade máxima do futebol.

Suspensão de Brasil x Argentina

Através da redes sociais, a Conmebol informou que a partida foi suspensa por decisão do árbitro principal do jogo de Brasil x Argentina e do comissário, e que um relatória será enviado à entidade máxima do futebol.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) comunicou que quatro jogadores da seleção da Argentina prestaram informações sanitárias falsas no formulário ao entrar no Brasil, para disputar partida válida pelas Eliminatórias da Copa. Em nota, a Anvisa diz que a situação foi comunicada à Polícia Federal para que "providências no âmbito da autoridade policial sejam adotadas imediatamente".

> Devem ser impedidos de permanecer em território brasileiro, diz Anvisa após jogadores da Argentina mentirem ao entrar no país

A Anvisa informa que considera a situação “risco sanitário grave”, motivo pelo qual orientou as autoridades em saúde locais “a determinarem a imediata quarentena dos jogadores, que estão impedidos de participar de qualquer atividade e devem ser impedidos de permanecer em território brasileiro”. Segundo portaria da Anvisa. viajantes que estiveram no Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia nos últimos 14 dias estão proibidos de entrar no Brasil.

Mais Lidas