play_circle_outline
Rádio Livre

Anne Barreto e Rhaldney Santos

access_time

16:00

Balanço de Notícias

Wagner Gomes e Igor Maciel

access_time

18:00

A Hora do Ângelus

Ave Maria

play_circle_outline
Rádio Livre

Anne Barreto e Rhaldney Santos

access_time

16:00

Balanço de Notícias

Wagner Gomes e Igor Maciel

access_time

18:00

A Hora do Ângelus

Ave Maria

search close
Entrevista exclusiva

''Fiz um acordo dividido em oito anos'', afirma Milton Mendes sobre retorno ao Santa Cruz

O treinador afirmou que confia na atual gestão do clube e, por isso, aceitou a proposta para ter uma segunda passagem no Tricolor do Arruda

Robert Sarmento
Milton Mendes voltou ao Santa Cruz depois de três anos.
Milton Mendes voltou ao Santa Cruz depois de três anos.
Bobby Fabisak/JC Imagem

Em nove jogos sob o comando do Santa Cruz, o técnico Milton Mendes vive como em uma passeio na montanha russa, entre a diversão e a tensão. Após conseguir uma sequência de invencibilidade, agora acumula quatro partidas sem vitórias e o risco de permanecer na Série C. Em entrevista exclusiva, concedida ao repórter Igor Moura, o treinador falou, além dos assuntos dentro de campo, sobre a atual estrutura do clube, em comparação com a primeira passagem em 2016, e também que fez um acordo em relação às dívidas do passado para retornar ao Arruda.

''Em termo de estrutura, o time deu uma melhorada boa. Longe do ideal, porque o clube está pagando dívidas de 10 anos atrás, por exemplo, de 2016 que ficou um buraco grande também. O que me chamou muita atenção foi que eles (a diretoria) tentaram fazer uma acordo, difícil para mim, mas 'deram a cara'. Fiz uma acordo dividido em oito anos, sem juros, nem nada. Era o que clube poderia pagar e está pagando. Isso para mim me fez ver o clube de uma forma positiva. Gostei da forma com que eles me trataram em outros assuntos'', relatou Milton Mendes.

Ouça a entrevista na íntegra

 

O comandante do elenco coral reforçou que confia na gestão do presidente Constantino Júnior, e que um dos fatores para ter um elenco limitado, numericamente, é por causa das dificuldades financeiras, e apontou três pontos para ter aceitado a proposta de treinar mais uma vez o Santa Cruz.

''Na mão do Tininho (Constantino Júnior) estão sendo pagas as dívidas. Isso é o que importa. Não está 'empurrando' para outro presidente. Por isso, temos um plantel reduzido. Temos uma grupo que é o que dar para ter este ano. Nós estamos nesta luta grande, e eu só estou no Santa Cruz por causa do Jomar Rocha (ex-integrante da diretoria de futebol), Tininho e a torcida. Lembro da torcida e me arrepio. Isso está muito vivo dentro de mim'', afirmou.


COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.