play_circle_outline
Debate da Super Manhã

Geraldo Freire

access_time

02:40

Super Manhã / Passando a limpo

Geraldo Freire

access_time

03:20

Consultório do Rádio Livre

Anne Barretto

play_circle_outline
Debate da Super Manhã

Geraldo Freire

access_time

02:40

Super Manhã / Passando a limpo

Geraldo Freire

access_time

03:20

Consultório do Rádio Livre

Anne Barretto

search close
SANTA CRUZ

Milton Mendes confirma time titular do Santa Cruz para o clássico

O treinador tricolor também afirmou que, se for necessário, pode fazer alguma substituição ainda no primeiro tempo

Klisman Gama
Pedro Alves
"Eu não vou esperar 45 minutos, quando eu já detectei o problema", diz Milton Mendes.
Jota Santana/Santa Cruz

O técnico Milton Mendes não fez mistério ao ser perguntado sobre a escalação que mandará a campo no clássico contra o Náutico, no próximo sábado, que vale a classificação do Santa Cruz para a próxima fase da Série C. Sem firulas, o treinador confirmou a equipe que terá como mudança em relação à vitória sobre o Globo, com a entrada de Dudu no lugar de Jailson.

“É essa equipe que joga”, cravou o treinador, que mandará a campo Anderson, Cesinha, João Victor, Vitão e Victor Lindenberg; Charles, Everton e Daniel Costa; Augusto, Dudu e Elias. “Nenhuma dúvida”, reforçou.

Apesar de ter o time pronto, o treinador coral não descarta novas mudanças realizadas ainda no primeiro tempo da partida por opção técnica ou tática. Fato que aconteceu nas duas últimas partidas, contra Confiança e Globo.

“O jogo é preparado na cabeça do treinador. A gente prepara e idealiza. Idealizando algumas coisas, a gente vai a campo pôr em prática e muitas vezes não acontece”, justificou Milton Mendes.

"Balela, conversa fiada"

Ainda segundo a opinião do técnico, independentemente da pressão externa, a troca de peças durante os primeiros 45 minutos de partida não significa um erro. “A mudança, no primeiro tempo ou não, não significa que o técnico fez alguma coisa errada. Pode alguma coisa não sair do jeito que gostaria e eu não vou esperar 45 minutos, quando eu já detectei o problema. O mais difícil para um treinador é detectar o problema. Quando ele detecta, tem que agir”, continuou.

“Essa é minha postura como treinador e vou fazer sempre isso. Não seria legal colocar a instituição em causa por conta da pseudo possibilidade de pessoas acharem que trocar o jogador no primeiro tempo não se deve, porque queima o jogador, porque o treinador escalou errado. Tudo isso para mim é balela, conversa fiada.”


COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.