"Não muda nada", afirma Dal Pozzo sobre decidir título fora de casa

O Náutico vai disputar a final da Série C contra o Sampaio Corrêa-MA

NÁUTICO

Gilmar Dal Pozzo se orgulhou do futebol apresentado diante o Juventude - Foto: Brenda Alcântara/JC Imagens

Luana Ponsoni | Pedro Alves

Depois de passar por dois mata-matas da Série C do Campeonato Brasileiro nos pênaltis, o técnico Gilmar Dal Pozzo admitiu não se importar com o fato de ter de decidir a final da Terceirona longe dos Aflitos. Após superar o Juventude ontem em nova cobrança de penalidades máximas, em casa, o Timbu vai disputar o título da competição com o Sampaio Corrêa. Os maranhenses, no entanto, ganharam direito de fazer o jogo da volta em casa por terem melhor campanha que os alvirrubros até a decisão.

As datas dos duelos devem ser confirmadas pela CBF hoje. Inicialmente estão prevista pela entidade máxima do futebol brasileiro para o próximo dia 29 e 6 de outubro. A ida acontecendo no estádio dos Aflitos e a volta no estádio Castelão, em São Luís (MA).

Inversão

A situação é bem diferente da enfrentada pelo time alvirrubro nas quartas de final, diante do Paysandu, e nas semifinais contra o Juventude. Nesses dois momentos da competição, o Timbu fez o segundo jogo em casa, vencendo ambos após as cobranças de pênaltis. Ainda assim, o técnico Gilmar Dal Pozzo garante que essa inversão de mandos na decisão não vai interferir na maneira do Náutico atuar.

“Não muda nada, eu falava, mesmo na fase classificatória, que eu não via vantagem nenhuma de começar um mata-mata com um jogo em casa e depois o segundo fora ou vice-versa. Não vejo vantagem, nem desvantagem nenhuma. Eu vejo que nós temos que jogar 180 minutos em alta intensidade. Em posição física, em posição técnica, em posição tática e em posição mental. Para colocar uma estrela no peito, nós temos que fazer 180 minutos em alto nível. Pode ser que a gente não consiga um resultado positivo aqui. Mas a gente já foi lá e venceu o próprio Sampaio (Corrêa) por 2×0”, comentou.

O treinador também se disse orgulhoso com o futebol apresentado pelo time até a conquista da vaga na decisão. Segundo Dal Pozzo, o Náutico já atua em nível de Série B. “Me agradou o desempenho nesses dois jogos. Valorizou porque o Juventude é uma grande equipe e por isso que subiu para a Série B. Nessa condição de estar na Série B, nós temos que jogar futebol de Série B. E a gente jogou”, elogiou.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.