Funcionários de empresas que prestam serviço no presídio de Itaquitinga protestam na PE-59


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/11/2013 às 16:45
Leitura:
Da Rádio Jornal (Foto: Guga Matos/ Acervo JC Imagem) (Foto: Guga Matos/ Acervo JC Imagem)

Motoristas enfrentaram congestionamento na rodovia PE-59 em Itaquitinga nesta sexta-feira (22) devido a um protesto que deixou a rodovia interditada por quase cinco horas. Os manifestantes são funcionários de empresas que prestam serviço para obra do complexo penitenciário de Itaquitinga.

Essa não é a primeira vez que o movimento decide se manifestar. Os profissionais realizaram outros protestos esta semana. Devido ao movimento, os trabalhadores da obra não puderam chegar ao local onde está sendo construído o presídio e a obra foi paralisada.

De acordo com um dos representantes dos fornecedores de transporte, Antônio Carlos, os profissionais estão há mais de um ano sem o pagamento do salário. Ele disse ainda que já houve uma tentativa de negociação com a Secretaria do Governo do Estado.

Ainda de acordo com o representante a empresa responsável pelos trabalhadores que decidiram aderir ao movimento ameaça punir os profissionais.

O repórter Carlos Simões traz essas informações:

Em nota, a Secretaria do Governo afirmou que recebeu uma comissão de quatro representantes dos fornecedores da área de transportes, que prestava serviços ao Centro Integrado de Ressocialização de Itaquitinga. De acordo com a nota, a concessionária responsável pela obra deve pagar os salários pendentes. No dia 29 de novembro vai ser realizada uma audiência pública na câmara de vereadores de Itaquitinga para decidir a situação dos trabalhadores.


Mais Lidas