Em Caruaru, vereadores anulam por unanimidade o polêmico projeto de implantação do BRT


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/01/2014 às 9:51
Leitura:
Da Rádio Jornal  Foto: Reprodução/ Internet Foto: Reprodução/ Internet Galerias lotadas e um pequeno manifesto organizado marcaram a sessão extraordinária que aconteceu na noite dessa terça-feira (21), na Câmara Municipal de Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Mesmo sem a presença dos dez vereadores investigados pela operação Ponto Final, a reunião seguiu normalmente com os outros 23 vereadores, incluindo os suplentes. Por unanimidade, os vereadores de Caruaru decidiram anular o polêmico projeto implantação do BRT na cidade. A sessão começou com atraso porque os parlamentares se reuniram a portas fechadas durante uma hora. O projeto de lei de implantação do Bus Rapid Transit (BRT) foi aprovado em 17 de dezembro. No dia seguinte, a Polícia Civil deflagrou a operação Ponto Final e prendeu dez vereadores, entre governistas e oposicionistas. No inquérito, com mais de 800 páginas, o grupo é acusado de corrupção passiva, concussão e formação de organização criminosa. Os parlamentares que chegaram a ficar presos na Penitenciária Juiz Plácido de Souza foram beneficiados com uma liminar. A decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco foi recebida nessa terça-feira (21), pela Câmara de Vereadores de Caruaru. O retorno dos vereadores ao plenário não ocorreu porque ainda vale o afastamento de 180 dias estabelecido pela vara da fazenda pública. A anulação da votação do projeto de lei de implantação do Bus Rapid Transit (BRT) atendeu a recomendação do Ministério Público. O presidente da câmara, vereador Leonardo Chaves, explica que a matéria é questionável do ponto de vista moral. Saiba mais sobre a sessão, na reportagem de Michele Veloso, da Rádio Jornal Caruaru:

Mais Lidas