CARUARU

Operação Ponto Final completa um ano, ainda sem fim


No dia 18 de dezembro de 2013 a justiça deu voz de prisão à 10 vereadores envolvidos em esquema de corrupção

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/12/2014 às 8:46
Leitura:
Foto: Reprodução/Internet


Faz um ano, nesta quinta-feira (18), que a política de Caruaru, Agreste de Pernambuco, se tornou destaque na imprensa nacional, com a prisão de dez vereadores do município. Os principais jornais do país, como o Jornal do Commercio, deram destaque ao caso.

Tudo começou devido ao projeto do BRT, com a proposta de criar um corredor exclusivo para o transporte público da cidade. O projeto teve orçamento, aprovado em dezembro de 2013, de 250 milhões de reais e seria contraído junto ao BNDES.

Na Câmara de Caruaru, a proposta teve 17 votos a favor, 5 contra e 1 abstenção. Porém, segundo investigações da Polícia Civil, os vereadores teriam cobrado propina para aprovar este projeto, do prefeito José Queiroz (PDT).

Na manhã do dia 18 de dezembro de 2013, a justiça deu voz de prisão aos vereadores Neto (PMN), Eduardo Cantarelli (SD), Cecílio Pedro (PTB), Val das Rendeira (PROS), Jadiel Nascimento (PROS), Jajá, Evandro Silva (PMDB), Louro do Juá (SD), Sivaldo Oliveira (PP) e Val de Cachoeira Seca (DEM).

Participaram da Operação Ponto Final I, 120 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. Ao longo deste período novas investigações foram feitas pela polícia, culminando na Operação Ponto Final II.

O processo entrou em novas fases, com a apresentação de gravações do processo, à imprensa, pelos vereadores acusados que, segundo eles, reforça a ideia do esquema de armação por parte do poder executivo.

Após um ano das prisões, o Tribunal de Justiça de Pernambuco determinou, nesta terça-feira (16), um novo afastamento dos dez vereadores, das funções legislativas.

Escute o advogado de defesa, Emerson Leônidas, na reportagem de Fillipe Rodollfo, da Rádio Jornal Caruaru:


Mais Lidas