BELO JARDIM

Ministério Público cobra solução para hospital interditado

Representantes da saúde foram convocados pela promotoria para participar de uma reunião decisiva sobre o assunto

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 21/01/2015 às 10:17

A Secretaria Municipal de Saúde de Belo Jardim, no Agreste do Estado, deverá cumprir a determinação do Ministério Público de Pernambuco, no que se refere em apresentar soluções para o funcionamento do Júlio Alves de Lira, que está interdidado desde o dia 12 de janeiro, por falta de estrutura.

No início desta semana o prefeito João Mendonça (PSD) e representantes da saúde foram convocados pela promotoria para participar de uma reunião decisiva sobre o assunto, porém só apareceram um assessor e a secretária de saúde da Prefeitura de Belo Jardim, Silvia Renata.

Em quase nada os presentes na reunião puderam contribuir, porque o prefeito deveria assinar um possível termo aditivo que definiria medidas no atendimento e reformas da unidade de saúde.

Apesar da ausência do prefeito, ficou definido em ata que a Secretaria de Saúde deverá apresentar à justiça, em 10 dias, as cópias dos procedimentos de aquisição de duas ambulâncias semi-UTI e da licitação da UPA 24h, além de encaminhar relatórios de atendimento e transferência de pacientes.

Por enquanto, o atendimento emergencial vai continuar sendo feito na Policlínica Professor Ulisses Lima, de Belo Jardim. O repórter Fillipe Rodollfo, da Rádio Jornal Caruaru, traz mais informações: