FALTA D'ÁGUA

Em tempos de seca, 116 carros-pipa deixam de circular no Estado


O convênio que garantia a verba para os carros-pipa terminou em fevereiro, deixando 22 municípios de Pernambuco sem atendimento.

Da Rádio Jornal; atualizada às 17h
Da Rádio Jornal; atualizada às 17h
Publicado em 18/03/2015 às 9:00
Leitura:
Foto: Tânia Rego/ Agência Brasil


O convênio entre o Ministério de Integração Nacional e o governo estadual, que garantia verbas para a contratação de carros-pipa pela Defesa Civil, não foi prorrogado. O acordo terminou em fevereiro, deixando 22 municípios de Pernambuco sem atendimento e 116 carros-pipa fora de circulação. Por causa da estiagem, 126 cidades no Agreste e Sertão do Estado declararam estado de emergência. Nas regiões, chove abaixo da média pelo quarto ano consecutivo.

De acordo com o secretário executivo de Defesa Civil, coronel Carlos Albuquerque, o governo federal não renovou os convênios porque o abastecimento dos municípios passaria a ser feito pelo Exército Brasileiro.


Segundo o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco, José Patriota, as prefeituras estão aportando dos seus custos para bancar esses carros-pipa. Vários prefeitos já estariam endividados porque continuam abastecendo a população, principalmente as famílias que moram em sítios mais distantes. José Patriota ainda afirma que líderes de municípios estão recorrendo a ele, em pedidos de ações permanentes.



Na resposta ao Governo de Pernambuco, o Ministério da Integração Nacional nega o pedido de R$ 10 milhões, que deveriam ser usados para manter circulando os caminhões-pipa contratados pela Defesa Civil. O documento informa que o Exército abastece 100 municípios do Estado com 1.224 caminhões-pipa, e que vai analisar o atendimento aos 22 municípios que deixaram de ser abastecidos com o fim do convênio.


Mais Lidas