ÁGUAS

Sem dinheiro, empresas podem parar obras de adutora do Pajeú e barragem da Ingazeira


A adutora do Pajeú, por exemplo, já amarga três meses de atraso no repasse do pagamento à empresa MRN.

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 10/04/2015 às 11:42
Leitura:

As obras da adutora do Pajeú e a barragem da Ingazeira, consideradas determinantes para a segurança hídrica do semi-árido nordestino, estão ameaçadas por falta de dinheiro. Segundo informações do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), a causa é o contingenciamento de recursos e falta de repasses do Governo Federal.

Segundo Rosana Bezerra, coordenadora estadual do Dnocs, a Adutora do Pajeú já amarga três meses de atraso no repasse do pagamento à empresa MRN, que executa a obra. O valor em atraso já chega a R$ 6 milhões.

Em relação a Barragem da Ingazeira, a situação é ainda pior. Segundo o Dnocs, nomes como o Senador Humberto Costa, o Ministro Armando Monteiro, o Tesouro, Ministério do Planejamento, Casa Civil e Integração Nacional estão sendo articulados para agilizar a liberação de repasses para a construtora.


Mais Lidas