REPORTAGEM ESPECIAL

Ao contrário do resto do Agreste, Caruaru faz grande São João e espera movimentação de R$ 300 milhões


470 atrações tocam desde o começo do mês na programação junina da cidade

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 23/06/2015 às 10:04
Leitura:
Foto: Reprodução / Flickr São João de Caruaru

A terra da Maior Fogueira do Mundo é também a terra do maior pé-de-moleque, do maior cuscuz, do maior xerém e até mesmo da canjica gigante. Famosa pela cultura do barro, produção têxtil e grandes festejos juninos, Caruaru, a Capital do Agreste, é dona do maior PIB do interior e do quinto maior de Pernambuco, e produz uma festa junina maior do que a de 2014, ao contrário das outras cidades do Agreste.

Para recuperar as perdas do primeiro semestre, o investimento na preparação das festas juninas em Caruaru aumentou em 40%. A expectativa da cidade é de que a movimentação financeira chegue a R$ 300 milhões, atraindo turistas com 470 atrações, divididas entre nomes nacionais de peso e grandes nomes da diversidade local. O Prefeito da cidade, José Queiroz, se mostrou otimista com o retorno dos investimentos. A repórter Jaciara Fernandes é responsável por contar a história da Capital do Agreste:

Ao contrário de Caruaru, outras cidades da região enfrentam dificuldades para manter as tradições juninas. Só no Agreste, 14 municípios anunciaram a diminuição na programação da festa. A cidade de Lagoa dos Gatos foi a que mais sofreu com os cortes, tendo a programação cancelada. O Secretário de Turismo de Pernambuco, Felipe Carreiras, afirmou que a valorização de artistas locais foi uma das principais medidas tomadas para reverter a situação.

Nessa quarta-feira (24), a sexta e última reportagem da série "O Fole Roncou: O São João na crise de ponta a ponta do Estado" mostra as tradições juninas que se mantêm na capital e na Região Metropolitana do Recife, e como a crise financeira apertou o bolso daqueles que não abrem mão da festa.


Mais Lidas