MELHORA

Barragens do Agreste Setentrional saem da situação de colapso


A situação não está mais crítica, por conta das chuvas do final do mês de junho e início de julho

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 16/09/2015 às 9:55
Leitura:
A barragem de Carpina, que tem 270 milhões de m3 de capacidade, só tem 18%, o que tem garantido o abastecimento regular de algumas cidades do Agreste. Foto: Márcio Wanderley/Cortesia para a Rádio Jornal

A situação das barragens na Região do Agreste Setentrional não está mais crítica por conta das chuvas do final do mês de junho e início de julho, e isso fez com que algumas barragens saíssem da situção de colapso.

Parte dos municipios da região são abastecidos pela barragem de Palmeirinha, que fica na comunidade de Pedra Fina, zona rural de Bom Jardim. Segundo dados da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), o reservatório tem capacidade para 6 milhões de m3 de água. O último levantamento realizado, mostra que o reservatório apresenta 45% da capacidade. Antes, no periodo mais crítico, ainda no primeiro semestre, a barragem entrou em colapso com apenas 3%.

Já a barragem de Carpina, que fica em um territorio no municÍpio de Lagoa do Carmo, tem uma capacidade de armazenamento bem maior. São 270 milhões de m3. De acordo com a Apac, desse total, a barragem só tem 18%, o que tem garantido o abastecimento regular de algumas cidades do Agreste.

Confira os detalhes no flash de Alfredo Neto:


Mais Lidas