BOLSA FAMÍLIA

Em Solidão, Ministério Público começa a apurar irregularidades do Bolsa Família


Município tem dez dias para informar os dados das pessoas responsáveis pela seleção do benefício

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 30/11/2015 às 10:43
Leitura:
Foto: Reprodução/Internet

O Ministério Público de Pernambuco confirmou, por meio do promotor Aurinilton Leão Carlos Sobrinho, designado para a pasta de Justiça de São José do Egito e Tabira, que instaurou um Inquérito Civil para investigar as irregularidades na distribuição do Programa Bolsa Família no município de Solidão, no Sertão do Pajeú. Segundo as denúncias, servidores públicos, incluindo a coordenadora do programa no município e membros da Câmara de Vereadores, estariam recebendo irregularmente o benefício, que é oferecido pelo Governo Federal a pessoas em situação de vulnerabilidade financeira.

O Inquérito Civil de número 003/2015 estabelece um prazo de dez dias para que o município informe os dados das pessoas responsáveis pela seleção de beneficiários do Bolsa Família. Deverão ser enviados nome, nacionalidade, naturalidade, profissão, estado civil, filiação, RG, CPF, endereço e telefone.

Ouça abaixo a matéria de Anchieta Santos:


Mais Lidas