SAÚDE PÚBLICA

Caruaru vai pedir ajuda ao Poder Judiciário para acabar com focos de dengue em imóveis


A Secretaria de Saúde de Garanhuns também intensificou as ações de combate ao aedes aegipty

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 03/12/2015 às 9:05
Leitura:
Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

De acordo com a Secretaria de Saúde de Caruaru, no Agreste do estado, apenas no interior das residências do município, se concentram cerca de 95% dos focos do mosquito aedes aegypti, que é o agente transmissor da dengue, zika vírus e da febre chikungunya. Devido a isso, o órgão está intensificando as ações de combate ao mosquito, com a realização de mutirões e agora vai pedir ajuda ao Poder Judiciário para facilitar o acesso à fiscalização das moradias da cidade.

Depois da Vila Canaã ter recebido, na última quarta-feira (2), o mutirão de agentes de endemias, nesta sexta (4) e sábado (5), as ações estarão concentradas no bairro do Salgado, região mais populosa de Caruaru, com quase 90 mil habitantes. De acordo com dados da Secretaria de Saúde, o município teve, desde janeiro, 4.070 casos notificados de dengue, desses, 467 foram confirmados. Os números representam um aumento de 1000% em relação ao ano de 2014.

De acordo com Paulo Florêncio, diretor de Vigilância em Saúde, uma das maiores dificuldades encontradas pelos agentes de endemias é não ter acesso ao interior das residências. Por isso, segundo a Secretária de Saúde, Aparecida Souza, ainda essa semana será realizada uma reunião com o Ministério Público e o Exército para mobilização acerca das casas encontradas fechadas, ou em caso de um morador não permitir a entrada dos agentes de endemias. Ouça abaixo a matéria de Jaciara Fernandes:

Garanhuns - Nesta quinta-feira (3), a Secretaria de Saúde de Garanhuns vai intensificar as ações de combate ao aedes aegypti, divulgando em coletiva de imprensa, quais outras secretarias vão se juntar à luta contra o mosquito. No município, foram confirmados dois casos da febre chikungunya. Segundo o Secretário de Saúde, Alfredo Góes, a expectativa e de que dez outras secretarias se engajem no combate ao mosquito, além do apoio da população. Ouça abaixo, na voz de Eduardo Peixoto:


Mais Lidas