INVESTIGAÇÕES

Polícia investiga morte da garota Beatriz, mas ainda não chegou ao autor do crime


A menina de sete anos foi morta no último dia 10, em Petrolina, durante festa de formatura de colégio

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 14/12/2015 às 9:38
Leitura:
Foto: Reprodução/Whatsapp

A direção do Colégio Auxiliadora quebrou o silêncio sobre o caso da garota Beatriz Angélica Mota, de apenas sete anos, que foi encontrada morta a golpes de faca no interior da instituição. Em nota à população, o colégio diz que sofreu uma dura perda e se referiu ao fato como uma tragédia que se abateu sobre todos, em um dia que deveria ser de muita alegria.

Beatriz é filha do casal Lúcia e Sandro Romilton, que é professor de inglês do colégio. Eles são moradores da cidade de Juazeiro, na Bahia e a criança,que não era aluna da unidade, participava com os pais da festa de encerramento do ano letivo, quando foi encontrada morta numa sala onde são armazenados equipamentos esportivos, no último dia 10.

A delegada Sara Machado, responsável pelas investigações, disse que a polícia está empenhada na investigação do crime, mas até o momento não chegou ao executor. O pai da criança contou que encontrou um rapaz no banheiro, que disse que o corpo da criança havia sido encontrado.

Segundo a delegada, o crime de vingança não está descartado, já que não foram encontradas características que sugiram que houve tentativa de abuso sexual, o que indica a intenção específica de homicídio.


Mais Lidas