VIOLÊNCIA

Três homicídios são registrados em Caruaru neste final de semana


Os casos aumentam para 205 o número de pessoas assassinadas em 2015 no município

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/12/2015 às 10:06
Leitura:
Foto: Reprodução/Internet

O primeiro fim de semana depois do natal foi marcado por três homicídios em Caruaru, no Agreste do estado. Nos registros da Polícia, o número de homicídios no município subiu para 205. Na última quarta-feira (23), a Polícia Civil divulgou o balanço anual, que constatou que 2015 foi o ano mais violento da história, com um aumento de mais de 50% em relação a 2014.

Erick Felipe de Santana Leite, de 24 anos, foi a primeira vítima da violência deste final de semana. O ex-interno da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) foi morto no bairro Centenário.

A segunda vítima foi Patrícia da Silva Pereira, de 33 anos, que morreu após ter sido atingida por um tiro no peito, no bairro do Salgado. Vizinhos socorreram a vítima para o Hospital Regional do Agreste, mas não resistiu e faleceu. O suspeito de ter cometido o crime é o ex-presidiário João Thiago dos Santos Silva, de 22 anos, companheiro da vítima. Patrícia foi a 14ª mulher a ser assassinada em Caruaru neste ano.

A outra vítima foi José Edilson da Silva, de 31 anos, que foi morto com vários tiros quando bebia na companhia da esposa, no bairro São Francisco. A Polícia prendeu Thiago José dos Santos, de 22 anos, sob suspeita de ser o mandante do assassinato. O suspeito não nega que teve um atrito com a vítima, mas negou qualquer envolvimento com o crime.

No ano passado, 132 pessoas foram mortas na cidade. Faltando três dias para dezembro acabar, já foram assassinadas 14 pessoas.

De acordo com a polícia, 57% dos casos têm ligação com alguma atividade criminal, como tráfico de drogas e disputa por territórios para o tráfico. Outros 23% são crimes de proximidade, que ocorrem, geralmente, após a ingestão de bebidas alcoólicas. A maioria das vítimas é homem, com idades entre 16 e 30 anos, e com passagem pela polícia.

A polícia informou ainda que 55% dos inquéritos sobre homicídios foram elucidados e tiveram as motivações descobertas.


Mais Lidas