TODOS CONTRA O AEDES

Onda de doenças provocadas pelo Aedes Aegypti afeta empresas do Agreste de Pernambuco


Em Belo Jardim, a indústria de baterias Moura conta com 2.400 funcionários. Destes, pelo menos 400 ficaram doentes somente neste ano

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 05/03/2016 às 17:42
Leitura:
Foto: Reprodução internet


Não está sendo nada fácil para os trabalhadores do Agreste enfrentarem uma onda de doenças provocadas pelo mosquito da dengue, sem faltar ao emprego. As indústrias amargam um grande prejuízo por serem obrigadas a reduzirem a produção.

Em Belo Jardim, a indústria de baterias Moura conta com 2.400 funcionários. Destes, pelo menos 400 ficaram doentes somente neste ano. No setor de Gestão de Pessoas, as arboviroses atingiram 40% dos trabalhadores.

Para superar o problema e não comprometer os pedidos da clientela, estratégias foram adotadas no local, para evitar que outros funcionários adoeçam. De acordo com o gerente da indústria, Robson Galindo, várias estratégias estão sendo adotadas. Entre elas, palestras com orientações, cuidados e prevenções e a contratação de profissionais para vistoriar as áreas da empresa em busca de focos. “Instalamos armadilhas contra o mosquito e já verificamos a redução de mosquitos no local”, disse.

Confira a reportagem de Jaciara Fernandes:


Mais Lidas