CRISE

Municípios do Agreste enfrentam colapso no abastecimento de água

Abastecimento de cidades passa por crise desde o colapso de barragens. Compesa não consegue contratar carros-pipa

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 14/04/2016 às 10:30
Leitura:
Colapso da barragem do Bitury foi um dos motivos para a crise hídrica no Agreste. Foto: Reprodução


Devido ao colapso das barragens de Bitury e Pedro Moura Júnior, em Belo Jardim, no Agreste do Estado, as cidades de Sanharó, Tacaimbó e São Bento do Una, além da própria Belo Jardim, iriam passar a receber água exclusivamente por caminhões-pipa, como divulgado pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). O problema é que a Compesa está encontrando dificuldades em conseguir os carros-pipa para fazer o abastecimento.

Segundo os cálculos do órgão, seriam necessários 80 caminhões-pipa para levar água até os moradores dos quatro municípios. Até agora, a Companhia só conseguiu contratar 20. O gerente regional da Compesa em Belo Jardim lamentou a falta de interesse dos donos de carros-pipa e fez um apelo por ajuda nesse momento de dificuldade. Quem tiver carros-pipa em boas condições pode procurar a Gerência da Compesa em Belo Jardim.

Ainda segundo a Compesa, a água para abastecer as cidades vai vir de Garanhuns, Agrestina e outros municípios próximos. O gasto mensal para o abastecimento será de R$ 500 mil. O serviço ainda não tem previsão de começar. Ouça a reportagem de Giovani Gomes:

Mais Lidas