VAQUEJADA

Novo acordo garante proteção para animais durante Vaquejada de Limoeiro

Termo de Ajustamento de Conduta estabelece normas combatendo os maus tratos aos animais

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 06/05/2016 às 9:20
Leitura:
Foto: Reprodução


O prefeito de Limoeiro, no Agreste do Estado, Thiago Cavalcanti, e o responsável pela realização da Vaquejada de Limoeiro, Augusto Lins, firmaram um Termo de Ajustamento de Conduta perante o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para organizar e fixar as responsabilidades de todas as partes envolvidas na Vaquejada no que diz respeito à proteção dos animais. O evento começou na última quinta (5) e segue até o próximo domingo (8), no Parque de Vaquejada de Limoeiro.

O documento prevê que, durante o evento, deve haver uma equipe de veterinários à disposição dos competidores. Ficam proibidas a participação de bois com chifres sem aparamento e a utilização de instrumentos que provoquem choque, sangramento, ferimento ou perfuração nos animais. A organização deve disponibilizar aos bois e cavalos água e comida em quantidade e qualidade condizentes com as necessidades dos animais, além da manutenção da saúde deles.

Todos os envolvidos na Vaquejada, incluindo os organizadores do evento e suas equipes de apoio, assim como os competidores, têm a obrigação de preservar os animais participantes. Está vedado o uso de bois e cavalos que estejam com sangramento aparente nas corridas. Em caso de descumprimento, uma multa vai ser aplicada, mas a promotoria do MPPE não divulgou o valor da punição.

No início da semana, o MPPE havia firmado um acordo de cooperação técnica com a Associação Brasileira de Vaquejada, para ações permanentes de proteção dos animais durante vaquejadas em Pernambuco. Confira a reportagem de Alfredo Neto:

Mais Lidas