MENINA BEATRIZ

Pais de Beatriz Mota criam canal no Youtube para cobrar providências sobre o caso

Beatriz Mota foi assassinada em Petrolina há cinco meses. Demora da Polícia para resolver o caso vem sendo duramente criticada

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 06/05/2016 às 11:20
Leitura:
Foto: Reprodução


Os pais da menina Beatriz Angélica Mota, morta em Petrolina, no Sertão do Estado, há quase cinco meses, resolveram transformar o caso dela em canal no Youtube. A medida tem como objetivo evitar boatos e contribuir para a elucidação do homicídio, cometido em dezembro de 2015.

Beatriz tinha sete anos quando foi morta a facadas e o corpo encontrado num depósito abandonado na quadra do colégio em que estudava. A tragédia ocorreu durante uma festa de formatura no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina. Ninguém foi preso ainda, embora exista um retrato falado, recompensa em dinheiro e até whatsapp para coletar informações sobre o crime.

Nas redes sociais, são vários os depoimentos cobrando uma resposta para o caso. A polícia diz que cinco ex-funcionários da unidade de ensino são considerados suspeitos. No canal do Youtube, intitulado Beatriz Clama Por Justiça, a mãe da menina, Lucinha Mota, faz um desabafo:



O brutal assassinato de Beatriz repercute, também, na Câmara dos Deputados em Brasília. Em pronunciamento, o deputado Adalberto Cavalcanti (PTB-PE) cobra respostas do Governo de Pernambuco. O parlamentar defende a transferência das investigações da Polícia Civil para a Polícia Federal:



Você pode conferir o canal Beatriz Clama Por Justiça aqui.

Mais Lidas