CASO BEATRIZ

Colégio Maria Auxiliadora rebate críticas da mãe de Beatriz


Lúcia Mota publicou um vídeo em que acusa o colégio em que a filha foi assassinada de várias irregularidades

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 03/06/2016 às 10:10
Leitura:
Foto: Reprodução


O Colégio Maria Auxiliadora, em Petrolina, tomou conhecimento do vídeo divulgado por Lúcia Mota, mãe de Beatriz Angélica Mota, 7, assassinada brutalmente na instituição de ensino em 10 de dezembro de 2015. Em resposta, a unidade emitiu uma nota em que presta esclarecimentos acerca das acusações de Lúcia, que cita várias irregularidades do colégio, inclusive fiscais.

Um dos pontos rebatidos pela direção é a indignação da mãe porque o evento em que a filha foi morta dispensava a presença da Polícia Militar para fazer a segurança. Segundo o colégio, a presença da PM no evento poderia caracterizar um desvio de finalidade por retirar policiais de suas funções junto à comunidade, já que o evento era particular e uma atividade do calendário letivo que acontece há quase uma década. Além disso, uma empresa de vigilância havia sido contratada para esse trabalho.

Para o advogado do Colégio Maria Auxiliadora, Clailson Ribeiro, a cobrança da família de Beatriz deveria ser em cima da polícia, e não do colégio. Ele considera que o foco das denúncias está equivocado e a instituição é tão vítima quanto a família da criança. Ouça a fala completa na reportagem de Marco Aurélio:


Mais Lidas