GOIANA

Professores de Goiana estão há dois meses em greve

650 professores decretaram greve desde maio deste ano. Entre as reinvidicações, estão o pagamento do reajuste do piso nacional

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 08/08/2016 às 11:27
Leitura:
Foto: Blog do Anderson Pereira

Goiana, principal polo econômico da Mata Norte, vive uma contradição na educação municipal. Enquanto a cidade recebe investimentos milionários no setor automobilístico, vidreiro e hemoderivados, cerca de 11 mil alunos da rede municipal de ensino estão sem aulas.

Desde o dia 17 de maio deste ano, 650 professores decretaram greve. Eles reivindicam o pagamento do reajuste do piso nacional, equivalente a 11,36% e a eleição para escolha dos diretores e vice-diretores das escolas municipais.

Por determinação judicial, os educadores voltaram parcialmente as salas de aula, em sistema de revezamento. Assim, quando nas escolas da área urbana tem aula, na área rural ficam suspensas as aulas. O presidente do Sindicato dos Professores da Rede Municipal de Goiana, Manuel Messias, reclama que, por retaliação, os profissionais estão recebendo descontos abusivos nos salários referentes a maio e julho, alegando falta.

Confira detalhes na matéria de Ramos Silva:

A categoria realiza nesta segunda (8), um protesto em frente ao prédio do Tribunal de Justiça de Pernambuco, na capital pernambucana. Os professores pretendem ocupar a frente da instituição com cartazes e esperam ser atendidos para relatarem toda a situação.

A reportagem procurou a Prefeitura de Goiana para esclarecimentos, mas não obteve resposta.

Mais Lidas