JULGAMENTO

Defesa solicita revogação da prisão de assassino de Marcolino Júnior

De acordo com os autos do processo, o crime foi um latrocínio. Marcolino Júnior foi assassinado em abril deste ano

Maria Luísa Ferro
Maria Luísa Ferro
Publicado em 30/08/2016 às 8:14
Leitura:
Foto: Reprodução/Facebook

Durante a audiência de instrução do caso Marcolino Júnior, realizada nesta segunda (29), a defesa de Davi Fernando Ferreira Graciano solicitou a revogação da prisão preventiva dele. Davi é acusado de ser o mandante do assassinato do jornalista, em abril deste ano, em Caruaru.

O pedido será analisado inicialmente pelo Ministério Público e depois pelo juiz Hildemar Macedo de Morais, da Vara do Tribunal do Júri do município. Davi Fernando, que era assessor da vítima, está preso junto com Rafael Leite da Silva, acusado de participar do crime, na Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru.

De acordo com os autos do processo, trata-se de latrocínio – roubo seguido de morte – já que a dupla pretendia usufruir o dinheiro da vítima. Davi e Rafael foram interrogados nesta segunda (29), no fórum da cidade. Também prestaram depoimento sete testemunhas apontadas pela acusação e uma indicada pela defesa.

Finalizada essa etapa, tem início o prazo de alegações finais para a defesa e o Ministério Público. O próximo passo é a decisão do juiz Hildemar Macedo, que define se a dupla vai para o banco dos réus.

Thiago Sampaio, advogado assistente de acusação, resume a importância dos depoimentos dos convocados pela Justiça:

Entenda o caso

Marcolino Júnior foi assassinado no interior de um motel e teve o corpo abandonado na Zona Rural de Sairé, em abril deste ano. Ele tinha 46 anos e estava há mais de 20 anos no colunismo social de Caruaru e região.

Mais Lidas