INVESTIGAÇÃO

Perícia diz que jovens mortas em Petrolina não foram estupradas

Segundo o delegado Marceone Ferreira, as jovens foram vítimas de latrocínio, que é o roubo seguido de morte

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 09/09/2016 às 13:31
Leitura:


Foto: Arquivo Pessoal


A Polícia Civil descartou a possibilidade das duas jovens que foram assassinadas em Petrolina, no Sertão do Estado, terem sido estupradas. Segundo o delegado da cidade, Marceone Ferreira, as adolescentes foram vítimas de latrocínio, roubo seguido de morte. Os detalhes da investigação foram divulgados nesta sexta-feira (9).

Taiane de Souza Costa e Bruna Souza Torres, ambas de 19 anos, foram encontradas mortas com roupas rasgadas e com as mãos amarradas no matagal no Distrito Industrial de Petrolina, na última segunda-feira (5).

O delegado Marceone Ferreira, um dos responsáveis pelo caso, detalha que na perícia não consta violência sexual. Por isso, a investigação trabalha com a linha de latrocínio:



Na última quarta-feira (7), foram presos dois suspeitos: Lucas Conceição Santos, de 38 anos, e Lindolfo Nunes da Silva, de 40 anos. Eles moravam próximos a uma das vítimas. Segundo a polícia, eles já estavam de olho nas adolescentes, que iam a pé para o trabalho.

Ainda de acordo com o delegado Marceone Ferreira, as diligências continuam. Os suspeitos estão no Presídio de Petrolina à disposição da Justiça.

Mais Lidas