CARNE FRACA

Situação dos matadouros em Pesqueira e Petrolina preocupa moradores


Fiscalização das condições de abate nos municípios do Agreste e do Sertão está em andamento após a repercussão da Operação Carne Fraca

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 21/03/2017 às 9:35
Leitura:

Imagem

A Operação Carne Fraca teve repercussão a nível mundial e preocupou toda a população brasileira sobre a qualidade da carne consumida. Com isso, a Rádio Jornal Pesqueira procurou o diretor de abatimentos do Açougue Público Municipal, Jorge Bigodão, para saber como andam as condições de higiene e transporte da carne no município, localizado no Agreste do Estado.

De acordo com Bigodão, a higiene no processo é prioridade, mesmo com a falta de água que assola a região. O secretário de Agricultura do município, Hamilton Didier, comentou sobre as fiscalizações constantes no açougue municipal que, segundo ele, está em perfeitas condições. Ouça na reportagem de Nildo Lucena:

Além do matadouro público, existe em Pesqueira um abatedouro pertencente ao Grupo Alvorada. O problema é que o local, há alguns dias, vem liberando um mau cheiro proveniente dos trabalhos de reaproveitamento das vísceras dos animais abatidos. O odor vem incomodando muito a população.

Em nota, o Grupo Alvorada informou que o mau cheiro seria causado por um problema técnico, que já está sob controle e não deve incomodar a população a partir desta terça-feira (21).

Sertão

Em Petrolina, no Sertão do Estado, a população está preocupada com o fechamento do matadouro da cidade, o que causou um aumento no abate clandestino de animais. O matadouro teve as atividades suspensas pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) por causa das condições precárias do ambiente, transferindo a responsabilidade para a cidade vizinha de Juazeiro (BA).

Para garantir o cumprimento do Programa Carne de Primeira na cidade, o MPPE recomendou que a Agência Municipal de Vigilância Sanitária e a Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária (Adagro) realizem fiscalizações constantes da comercialização e transporte de carnes nas feiras do município.

Sobre o antigo matadouro, o prefeito Miguel Coelho viajou a Brasília recentemente e voltou com a notícia de que conseguiu verba de R$ 1 milhão para reformar o local. Saiba mais na reportagem de Marco Aurélio:


Mais Lidas