Tortura

Em Caruaru, adolescente de 16 anos é torturada


Adolescente foi baleada na cabeça, teve o cabelo cortado e os seios esfaqueados. Polícia acredita que crime pode ter relação com o tráfico de drogas

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 27/09/2017 às 11:10
Leitura:

Imagem

Uma adolescente de 16 anos sofreu uma tentativa de homicídio em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. A jovem foi torturada, teve os cabelos cortados, os seios esfaqueados e levou pelo menos um tiro na cabeça. De acordo com a Polícia Militar, a mãe da vítima informou que a filha é usuária de drogas e esta foi a segunda vez que a menina é alvo de uma agressão.

O crime aconteceu no bairro de Vila Canaã, em Caruaru, na noite desta terça-feira (26). Apesar de morar em Toritama, a vítima teria ido até a cidade vizinha para consumir drogas. No local, ela foi capturada, torturada e ferida. O posto policial da PM no Hospital da Restauração, para onde a jovem foi transferida, não soube informar se a adolescente também foi estuprada.

Relato da mãe

A mãe da adolescente disse que pediu para a filha não sair de casa. "Eu disse para ela não ir, mas ela foi. Saiu de casa umas 22h e quando deu meia noite, chegou a notícia que ela tinha levado tiro. Foi negócio com envolvimento de drogas e disseram para a gente não avisar a polícia porque senão matavam todos nós", disse.

Em entrevista à Rádio Jornal, a mãe da menina disse que a filha, a caçula entre os seis irmãos, é usuária de crack há cerca de um ano e meio. Na véspera do Natal do ano passado, a adolescente já havia sido torturada. Na ocasião, ela apanhou durante quatro dias dentro de uma casa, por traficantes da mesma comunidade onde foi agredida nesta terça-feira.

Segundo a Polícia, a adolescente foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) e levada até uma unidade de saúde em Caruaru. Em seguida, a vítima foi transferida para o Hospital da Restauração, na região central do Recife. A jovem deu entrada na emergência do HR por volta das 4h desta quarta-feira (27).

De acordo com a assessoria de comunicação do Hospital da Restauração, a jovem está estável, consciente e orientada. Ela segue em observação porque a bala ficou alojada na parte posterior da cabeça. Ainda de acordo com a nota, como o projétil não penetrou o crânio, a equipe médica ainda não decidiu se será necessário um procedimento cirúrgico para a retirada.

Polícia investiga o caso

A Polícia Civil de Pernambuco deve investigar a motivação do crime. Ainda não se sabe o autor da tortura nem dos disparos. O estado de saúde da adolescente também não foi informado.


Mais Lidas