play_circle_outline
Balanço de Notícias

Wagner Gomes e Igor Maciel

access_time

18:00

A Hora do Ângelus

Ave Maria

access_time

18:05

Bola Rolando

Ednaldo Santos

play_circle_outline
Balanço de Notícias

Wagner Gomes e Igor Maciel

access_time

18:00

A Hora do Ângelus

Ave Maria

access_time

18:05

Bola Rolando

Ednaldo Santos

search close
CASO BEATRIZ

Caso Beatriz: defesa nega manipulação de imagens e aponta falha da polícia

O advogado do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, advogado Clailson Ribeiro declarou que houve falha no manuseio do HD onde os arquivos de segurança estavam  

Caso Beatriz: defesa nega manipulação de imagens e aponta falha da polícia
A menina Beatriz Angélica Mota foi assassinada com 42 facadas em dezembro de 2015 - Foto: Reprodução/ Facebook

O representante do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora de Petrolina, o advogado Clailson Ribeiro, destaca que a instituição de ensino vem colaborando com a polícia nas investigações sobre o Caso Beatriz. “Com relação aos pedidos e solicitações realizadas pela polícia, todas as solicitações foram atendidas, nós não temos registro de qualquer solicitação não atendida à polícia. Pelo contrário, as vezes se quer o pedido era formalizado, às vezes, a gente por um mero WhatsApp, por uma mera ligação, a polícia chegando aqui sem avisar nós sempre abrimos as nossas portas e atendemos prontamente a solicitação”, afirma Clailson Ribeiro.

Segundo o repórter Marco Aurélio, a defesa afirma que não houve manipulação das imagens e que pode ter ocorrido uma falha por parte da polícia durante o manuseio do HD.

Ouça a reportagem na íntegra:

 

O advogado afirma também que  formalizou um pedido de providência ao Ministério Público Estadual para que sejam apuradas as divergências de informações no caso. “Diante das divergências de informações entre o que tem circulado na mídia e a documentação em que nós estamos apresentando, especificamente esses dois ofícios nós protocolamos junto ao Ministério Público Estadual, para a força tarefa no Caso Beatriz um pedido de providência”, destaca Clailson Ribeiro.

Relembre o caso:

Beatriz Motta foi morta com 42 facadas em uma escola de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, em dezembro de 2015. O crime segue sem solução há quase 3 anos."O Estado de Pernambuco, o seu governador, Paulo Câmara, podem ter certeza que eu vou incomodar sempre que necessário, porque ele não está investindo nenhum centavo no caso de Beatriz. Aliás, em nenhum outro caso de crime no estado de Pernambuco", disse Lucinha Motta em entrevista à Rádio Jornal.


COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.