Chuva forte deixa ruas em Petrolina alagadas

Chuva era bastante esperada pelos moradores, mas o grande volume tem causado transtornos

SERTÃO
Chuva forte deixa ruas em Petrolina alagadas

Chuva era bastante esperada pelos moradores, mas volume causou transtornos - Foto: Cortesia

As chuvas que caem desde o início da manhã desta quarta-feira (22) em Petrolina, no Sertão do São Francisco de Pernambuco, causa transtornos em vários bairros da cidade.

No Parque Jatobá II, na área central de Petrolina, os moradores alegam que a falta de saneamento e pavimentação deixa o cenário ainda mais crítico no bairro sempre que chove forte.

A chuva alagou casas no Projeto Maria Tereza. As Ruas 36, 37 e 38 estão intransitáveis e os moradores estão tentando desobstruir os bueiros para amenizar a situação.

Lagoa Grande

Já na cidade de Lagoa Grande, a 50 km de Petrolina, dezenas de famílias estão tendo suas casas invadidas pelas chuvas. Os moradores estão perdendo eletrodomésticos, colchões e outros móveis que estavam no nível da água.

A Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) prevê chuvas no Sertão do São Francisco até o dia 28 de janeiro.

Pajeú e Araripe com chuva

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de chuvas intensas para 37 cidades do Sertão do Pajeú e Sertão do Araripe pernambucano. Entre as cidades estão:

  • Afogados da Ingazeira
  • Afrânio
  • Araripina
  • Bodocó
  • Brejinho
  • Cabrobó
  • Carnaíba
  • Cedro
  • Dormentes
  • Exu
  • Granito
  • Iguaracy
  • Ingazeira
  • Ipubi
  • Itapetim
  • Lagoa Grande
  • Moreilândia
  • Orocó
  • Ouricuri
  • Parnamirim
  • Petrolina
  • Quixaba
  • Salgueiro
  • Santa Cruz
  • Santa Filomena
  • Santa Maria da Boa Vista
  • Santa Terezinha
  • Serrita
  • Sertânia
  • Solidão
  • São José do Belmonte
  • São José do Egito
  • Tabira
  • Terra Nova
  • Trindade
  • Tuparetama
  • Verdejante

De acordo com o Inmet, as chuvas, que seguem até esta quinta-feira (23), devem ter entre 20 e 30 mm/h ou até 50 mm/dia, podem vir acompanhadas por ventos intensos de 40 a 60 km/h.

Em caso de rajadas de vento, o instituto orienta a população a não se abrigar debaixo de árvores, pois há leve risco de queda e descargas elétricas. Outra recomendação é não estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda. Deve-se também evitar o uso de aparelhos eletrônicos ligados à tomada. A população pode acionar a Defesa Civil pelo 199 ou o Corpo de Bombeiros pelo 193.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.