MOVIMENTO

Atitude adotiva: O papel das escolas e as famílias formadas por adoção

Colunista fala como a escola pode receber, acolher e valorizar as famílias adotivas em seus espaços educativo

Fellipe Leandro
Fellipe Leandro
Publicado em 08/03/2019 às 23:26
Reprodução internet
FOTO: Reprodução internet
Leitura:

Estamos vivenciando o início de mais um ano letivo. Para algumas crianças e adolescente, isso representa a volta às aulas na mesma escola. Para outras, representa o início de uma vida escolar em uma nova instituição de ensino. Mas esse ritual educativo pode, também, fazer parte de uma nova vida, por exemplo, para as crianças e adolescentes recém-adotados e que ingressam, agora, não somente em uma nova família, mas também em uma nova escola, nova vizinhança, novos amigos e amigas. Nesse contexto de famílias formadas pela adoção, a escola – assim como as demais instituições da sociedade – precisam estar prontas para receber, acolher e valorizar essa forma de parentalidade e, até, auxiliar a família no processo educativo formal de seus filhos e filhas, assumindo, portanto, sua responsabilidade social de inclusão da diversidade em suas práticas pedagógicas e humanísticas.

Na coluna Atitude Adotiva desta sexta-feira (8) a professora e pesquisadora do IFPE, Doutora em Psicologia Cognitiva e fundadora do GEADIP (Grupo de estudo e apoio à adoção do Vale do Ipojuca), Tatiana Valério, fala sobre o papel das escolas e as famílias formadas por adoção.

Ouça a coluna na íntegra

Mais Lidas