A cidade dos buracos

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/07/2011 às 11:22
Leitura:

Rua Onze de fevereiro, Cordeiro. Crédito: Alexandre Gondim

Recife virou a cidade da buraqueira. Provavelmente, e espera-se que sim, só há dois “tipos” de pessoas que estão felizes com o atual quadro: os donos de oficinas e os donos de borracharias. No entanto, vale ressaltar que eles não estão felizes porque são malvados, mas sim, porque nunca lucraram tanto.

Escrever ou falar sobre buraco já virou até repetitivo, puxando para o chato. Mas, como nada muda, vale a pena bater na mesma tecla.

Recentemente, a Prefeitura do Recife (PCR) anunciou um novo serviço “tapa-buracos”. O termo está entre aspas porque o serviço não funciona. E, a pior parte, ainda vem aí. O contrato, fechado com a empresa Ecotech, custa um dinheirão - R$ 1,125 milhão por mês aos cofres públicos, durante um ano.

Esse serviço inclui mão de obra, material e três caminhões “modernos” para tapar os buracos. A matéria sobre o assunto você encontra aqui e, uma nova matéria, produzida um dia após a primeira, aqui.

Nesta quinta, novamente, o Jornal do Commercio denuncia os buracos recifenses. O assunto é repetido, de conhecimento geral, mas vale a pena bater na mesma tecla.

Mais Lidas