Conchinhas, criatividade e muito trabalho mudam rotina da comunidade Ilha de Deus

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 31/08/2011 às 12:49
Leitura:

Marisqueiras transformam conchinhas do mangue em artesanato. Foto: Rafael Souza

Um banco de terra ladeado pelo mangue, pelos rios e pela “selva de pedra” de uma capital como Recife. Uma verdadeira ilha, a Ilha de Deus, localizada no bairro da Imbiribeira, na Região Metropolitana do Recife. A dificuldade de acesso ao local, e a precariedade das palafitas, são a marca desta comunidade.

Ponte que dá acesso a Ilha de Deus é uma das recentes ações do Poder Público. Foto: Rafael Souza

A vida nesta ilha sempre foi difícil. Os primeiros relatos de moradores no local são de antes dos anos 50. Em 1951, o momento mais difícil: todos foram obrigados a ir embora, sem ter para onde ir. As décadas passaram, mas a Ilha de Deus nunca saiu da cabeça e do coração dessas pessoas, que acabaram retornando para o lugar nos anos 80.

Mesmo com a vida difícil, a situação financeira apertada e a falta de garantias básicas, como transporte e saneamento, não diminuem o carinho de quem mora na Ilha de Deus, de quem não demora em demonstrar amor pelo lugar e que promete de lá jamais sair.

Foi o desejo de ficar e crescer com a ilha, que fez um conjunto de moradores, reunidos a turistas alemães, a fundarem em 1983 o Centro Educacional Saber Viver, que mudou a vida de dezenas de pessoas ao investir em educação, cultura e ao imprimir uma marca própria, que levasse a mensagem de todos. E a forma encontrada para isso veio do mangue, que sempre foi o meio de sobrevivência da comunidade.

Centro educacional mudou história da Ilha. Foto: Rafael Souza

A extração de mariscos, através da pesca, rende não só para a venda de alimento, mas de matéria-prima para artesanato, em um trabalho que reúne arte e muita criatividade. Com as conchinhas retiradas do mangue, utensílios, objetos de uso doméstico e até mesmo obras de arte começam a aparecer.

Alguns dos objetos feitos pelas marisqueiras. Foto: Rafael Souza

Foi esse trabalho que a reportagem da Rádio Jornal AM foi em busca: os desafios da comunidade para se sustentar com seu próprio trabalho, as ações do Poder Público para melhorar a vida dessas pessoas e os problemas, o que ainda falta, para essa Ilha, que começa a ladrilhar os caminhos de seu futuro.

Falta de saneamento é um dos principais problemas da comunidade. Foto: Rafael Souza

Novos prédios contrastam com dificuldades da Ilha. Foto: Rafael Souza

Na série “A Economia Criativa da Ilha de Deus”, exibida no Redator de Plantão na Rádio Jornal AM entre os dias 29 e 30 de agosto, os repórteres Karoline Fernandes e Everson Teixeira mostram a história da comunidade, em uma série de duas reportagens produzidas por Camila Brandão, Karla Oliveira e Rafael Souza, sob a coordenação de Carlos Morais e com trabalhos técnicos de Tony Vasconcelos. Acompanhe nos aúdios abaixo as duas matérias especiais e confira o conteúdo extra com os vídeos e fotos.

Vídeos

No 1ª vídeo, confira a chegada dos repórteres Karoline Fernandes e Rafael Souza à ilha, atravessando a ponte que dá acesso à comunidade. No 2º vídeo, o caminho cheio de problemas para chegar à comunidade. Na 3º filmagem, a história da comunidade relatada pela líder comunitária Nalvinha da Iha. Confira também, no 4º vídeo, um pouco do trabalho artesanal feito pelas marisqueiras e por fim, no 5º vídeo, o depoimento da anciã da Ilha de Deus, Berenice, de 73 anos, a famosa Dona Beró.

Mais Lidas